Entre diferenças e desigualdades:

o protagonismo das primeiras atletas olímpicas negras do Brasil

  • Cláudia Maria de Farias Universidade Estácio de Sá

Resumo

O trabalho reafirma a importância dos estudos de gênero para a compreensão dos processos históricos contemporâneos através dos quais se deram a inserção, a permanência e a ampliação da participação das mulheres no campo esportivo brasileiro, entre os anos 1940 e 1950. Através das narrativas orais de duas atletas negras – Melânia Luz e Deise Jurdelina de Castro –, pioneiras em Olimpíadas, representando o Brasil, são examinadas as múltiplas intersecções do gênero com outros componentes de diferenciação social, como classe, raça/etnia e geração, fundamentais para a reconstrução do protagonismo dessas mulheres negras durante o pós-abolição, bem como das suas experiências, projetos, carreiras, memórias e trajetórias de vida.

Publicado
2020-05-08
Como Citar
Farias, C. M. de. (2020). Entre diferenças e desigualdades:: o protagonismo das primeiras atletas olímpicas negras do Brasil. Canoa Do Tempo, 11(2), 77-98. https://doi.org/10.38047/rct.v11i2.6659