INFLUÊNCIA DE LAGOS ARTIFICIAIS NO CLIMA LOCAL E NO CLIMA URBANO: ESTUDO DE CASO EM PRESIDENTE EPITÁCIO (SP)

  • Marcos Barros de Souza
  • Zilda de Fátima Mariano
  • Emerson Galvani

Resumo

As transformações antrópicas de um determinado espaço físico podem ocasionar
variações nos atributos climáticos, como a umidade relativa do ar e a temperatura do ar, dentre outros.
Objetivou verificar as possíveis alterações no clima local e do clima urbano da cidade de Presidente
Epitácio, localizada no extremo oeste do Estado de São Paulo, devido à formação do lago artificial
para a construção da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta (Porto Primavera) e analisar os
desvios da temperatura do ar e da umidade relativa do ar, entre os postos localizados próximos ao
lago, na área intra-urbana e na área rural. A coleta de dados entre setembro de 2008 e setembro de
2009 utilizando sensores digitais de temperatura do ar e de umidade relativa do ar instalados em sete
postos. Na variação da temperatura do ar entre os postos das áreas intra-urbana, de influência do lago e
rural, nos horários de maior produção de energia (dia) as diferenças das amplitudes diminuem e nos
horários de menor produção de energia (noite) aumentam. Na variação da umidade relativa do ar entre
os postos das áreas intra-urbana, de influência do lago e rural as amplitudes são maiores durante o
período noturno, sendo menores durante o período diurno. Concluiu-se que apesar de não haver
valores significativos entre os postos, a presença do lago não contribui para o aumento da temperatura
do ar e da umidade relativa do ar, porém funciona como um maior equilíbrio térmico e higrométrico

Publicado
2012-10-06
Como Citar
Souza, M. B. de, Fátima Mariano, Z. de, & Galvani, E. (2012). INFLUÊNCIA DE LAGOS ARTIFICIAIS NO CLIMA LOCAL E NO CLIMA URBANO: ESTUDO DE CASO EM PRESIDENTE EPITÁCIO (SP). REVISTA GEONORTE, 3(9), 391 -. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/2503