RELATO DE EXPERIÊNCIA: UMA ABORDAGEM DE VIVÊNCIA NO ÂMBITO ESCOLAR DO PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA

Autores

  • Loyane de Souza Lopes Universidade Federal do Amazonas - Instituto de Saúde e Biotecnologia (UFAM/ISB)
  • Alessandra Barbosa da Silva Universidade Federal do Amazonas - Instituto de Saúde e Biotecnologia (UFAM/ISB)
  • Ana Cris Nunes de Souza Universidade Federal do Amazonas - Instituto de Saúde e Biotecnologia (UFAM/ISB)
  • Klenicy Kazumy de Lima Yamaguchi Universidade Federal do Amazonas - Instituto de Saúde e Biotecnologia (UFAM/ISB)

Palavras-chave:

Residência Pedagógica, Ensino de Química, Docência

Resumo

A Residência Pedagógica em Química faz parte de um programa federal voltado para formação inicial na área específica de professores para o Ensino Básico, que tem como órgão financiador a CAPES, e vem sendo desenvolvido em escola pública, oportunizando ao acadêmico conhecer e vivenciar aspectos físicos e pedagógicos pertinentes ao ambiente de trabalho do professor. A Residência Pedagógica visa acompanhar as ações pedagógicas de um profissional habilitado, bem como levar o acadêmico a observar, planejar e intervir na realidade. Dessa forma, o programa tem como proposta desenvolver conhecimentos referentes a uma atividade prática pré-profissional, em que na sala de aula, por meio de atividades de residência, o residente deve refletir conhecimentos teóricos e práticos do Ensino de Química. No primeiro momento, realizou-se a observação e a caracterização do ambiente escolar, com o objetivo de conhecer o ambiente escolar para desenvolver a próxima etapa da Residência Pedagógica - a regência. Através da divulgação das experiências da residência estabelece-se um momento para reflexões e discussões com a intenção de que sejam formados profissionais capacitados e comprometidos com a educação. Diante do exposto, é notório a importância do projeto e das atividades de observação e regência. Elas possibilitaram aos acadêmicos repensarem a prática docente na sua totalidade. A empatia que profissional docente deve ter diante das dificuldades cotidianas em sala de aula e a entender que cada aluno tem suas potencialidades e dificuldades individuais.

Referências

BARREIRO, I. M. de F. e GEBRAN, R. A. Prática de ensino: elemento articulador da formação do professor. IN: Barreiro, I. M. de F. e Gebran, R. A. Práticas de ensino de estágio supervisionado na formação de professores. São Paulo: Avercamp, 2006.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Saberes pedagógicos e prática docente. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 13. 2006.

FREIRE, Paulo. A Educação Como Prática da Liberdade.Rev Atual. Ed.14. Rio de Janeiro.2011

FUNK, Hermann; KOENING, Michael, Grammatik lehren und lernen. Berlin: Langenscheidt, 1991(Fernstudieneinheit 1).

KRASILCHIL, M. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: EDUSP, 2008.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. Cortez. São Paulo. 1994.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnica de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. Atlas. 3 ed. São Paulo. 1996.

MEDEIROS, T. G.; FIGUEREDO, C. J. O papel das recompensas como estratégia motivadora em sala de aula. Revista de Educação, Linguagem e Literatura da UEG-Inhumas, v.2, p. 53-73, 2010.

Downloads

Publicado

2020-10-26

Como Citar

LOPES, L. de S.; SILVA, A. B. da; SOUZA, A. C. N. de; YAMAGUCHI, K. K. de L. RELATO DE EXPERIÊNCIA: UMA ABORDAGEM DE VIVÊNCIA NO ÂMBITO ESCOLAR DO PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA. Revista Ensino, Saúde e Biotecnologia da Amazônia, [S. l.], v. 2, n. esp., p. 111–116, 2020. Disponível em: //periodicos.ufam.edu.br/index.php/resbam/article/view/6603. Acesso em: 1 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>