Das memórias africanas às relações cotidianas

relato de experiência com o dancehall

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29280/rappge.v9i2.13650

Palavras-chave:

Dancehall, Dança, Ensino

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo tecer um relato de experiência sobre o Projeto “Feira Afro”, realizado em 2019 e interpretar a relação dos participantes da dança Dancehall em seu cotidiano escolar. O cenário da pesquisa foi a Escola Municipal de Tempo Integral Diogo Vital de Siqueira, localizada no Distrito IV, bairro José Walter em Fortaleza/CE. A coleta de dados ocorreu de outubro a dezembro de 2021 na escola, após o retorno das escolas municipais ao modo presencial (período anterior ocorrido de modo remoto em virtude da pandemia de covid-19) através de questionário semiestruturado. Participaram da pesquisa cerca de 38 alunos, porém, somente 11 responderam ao questionário. Considera-se que houve uma relação significativa do processo de rememoração feita pelos estudantes e suas relações com as culturas de matrizes africanas.

Biografia do Autor

José Jander Teixeira de Oliveira, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Mestre em Educação  pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Graduado em Licenciatura plena em Educação Física pela Universidade Esadual do Vale do Acaraú (UVA) e em Dança  pela Universidade Federal do Ceará (UFC).  Professor Efetivo da Rede Municipal de Fortaleza.

Arliene Stephanie Menezes Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE

Doutoranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Mestra em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Líder do grupo de pesquisa Corponexões: corpo, cultura e sociedade. 

Kaline Lígia Estevam de Carvalho Pessoa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE

Doutora em Ciências da educação Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro-Portugal (UTAD). Mestra em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Vice-líder do grupo de pesquisa Corponexões: corpo, cultura e sociedade.

Referências

DUARTE, G. O. Masculinidades dançantes em Pelotas/RS. In: Paralelo 31, v.2. Pelotas, p. 78-87, 2016.x’

GOELLNER, S. V. A produção cultural do corpo. In: LOURO, G. L.: NECKEL, J. F.; GOELNNER, S.V. (Orgs). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, 2003.

GOMES, D. P.; PEREIRA, A. S. M.; SANTIAGO, J. S. Refazendo os percursos da disciplina bases socioantropológicas da Educação Física. Ensino em Perspectivas, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 1–17, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/5503. Acesso em: 17 out. 2023.

GUIMARÃES, A. S. A. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Ed. 34, 2009.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Tradução de Carlos Alberto Siqueira de Moura. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MINTZ, S.; PRICE, R. O nascimento da cultura afro-americana: uma perspectiva antropológica. Rio de Janeiro: Pallas/Universidade Cândido Mendes, 2003.

OLIVEIRA, J. J. T de. Processos inventivos na escola: A dança na arte e na educação física. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação). Universidade Federal do Ceará, Instituto de cultura e Arte, Curso de Dança, Fortaleza, 2021.

PEREIRA, A. S. M. Aninhá Vaguretê: reflexões simbólicas para a Educação Física no ritual do Torém dos índios Tremembé. 2019. 182f. Dissertação (Mestrado em Educação Física), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

PEREIRA, A. S. M. Práticas corporais indígenas: jogos, brincadeiras e lutas para implementação da Lei 11.645/08 na Educação Física escolar. Fortaleza: Aliás, 2021.

PEREIRA, A. S. M.; GOMES, D. P. Dança encantada e de resistência: (trans) significações corporais no Torém dos índios Tremembé. Corpoconsciência, Cuiabá-MT, vol. 22, n. 01, p. 120-129, jan./abr., 2018.

PEREIRA, A. S. M.; GOMES, D. P. Educación Física en Brasil: recorrido histórico educativo de 1851 a 2017. Lecturas: Educación Física y Deportes, v. 22, n. 238, p. 94-101, 25 mar. 2018. Disponível em: https://efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/93. Acesso em: 17 out. 2023.

SANTIAGO, J. DA S.; MAIA, F. E. DA S.; PEREIRA, A. S. M. Posibilidades de aplicación de la temática afrobrasileña en Educación Física escolar. Lecturas: Educación Física y Deportes, v. 25, n. 263, p. 73-92, 21 abr. 2020.

SCOTT, J. Gênero: uma Categoria útil de Análise Histórica, In: Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, V2, n2, p. 71-99, 1995.

SOUSA, A. C. B. de; PEREIRA, A. S. M.; FIALHO, L. M. F. A história da educação do Ceará em tempos de pandemia e o ensino remoto: memórias, conjuntura social e ressignificação do trabalho docente (2020-2021). Revista Liberato, [S. l.], v. 22, n. 37, p. 7–18, 2021. Disponível em: https://revista.liberato.com.br/index.php/revista/article/view/678. Acesso em: 18 out. 2023.

Publicado

04-06-2024

Como Citar

OLIVEIRA, . J. J. T. de; PEREIRA, A. S. M.; CARVALHO PESSOA, K. L. E. de . Das memórias africanas às relações cotidianas : relato de experiência com o dancehall . Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 1–15, 2024. DOI: 10.29280/rappge.v9i2.13650. Disponível em: //periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/13650. Acesso em: 19 jul. 2024.