https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/issue/feed Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas 2021-01-14T18:48:28+00:00 Profa. Fabiane Maia Garcia rappge@ufam.edu.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;"><strong>Amazônida</strong>, uma Revista de fluxo contínuo do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas (PPGE/UFAM), publica trabalhos de educação sob forma de artigos, relato de pesquisa, estudo teórico, resenhas críticas e entrevistas dentro de uma ação integradora dos conhecimentos produzidos no contexto da Amazônia internacional, no Brasil e no mundo.</p> https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8280 Desafios da humanidade no século XXI 2021-01-14T18:48:28+00:00 Gabriel Leuzinger Coutinho leuzinger.gabriel@gmail.com <p>Resenha do livro <em>Um mundo de riscos e desafios</em>: Conquistar a sustentabilidade, reinventar a democracia e eliminar a nova exclusão social, de Elimar Nascimento.</p> 2021-01-05T18:37:56+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/7156 O Teatro do Oprimido: dimensões políticas e pedagógicas em perspectiva freiriana 2020-11-10T02:44:14+00:00 Francenilza Viana de Souza Silva France.nilza@hotmail.com Selda Vale da Costa seldavale@ufam.edu.br <p>O artigo objetiva articular a arte teatral às críticas do contexto social, a partir das concepções teóricas e metodológicas do Teatro do Oprimido, de Augusto Boal. Portanto, trata-se de um estudo teórico que analisa o método teatral que está inserido na proposta do teatro político desse autor, estruturado a partir de seis técnicas que objetivam aproximar o teatro das grandes massas. A prática do Teatro do Oprimido amplia horizontes, exercita a prática do diálogo com diferentes campos do saber. Daí a importância de se conhecerem as conexões existentes entre os fundamentos que embasam esta teoria teatral e a teoria de Paulo Freire. Conclui-se que o Teatro do Oprimido, articulado às perspectivas freiriana, é uma alternativa para que os atores sociais reflitam sobre as formas de opressões presentes na sociedade, para romper com as relações verticalizadas, autoritárias e centralizadoras, uma vez que estabelece uma relação horizontal entre elas, contribuindo para que questionem e discutam suas práticas de cidadãos.</p> <p><strong>Palavras-Chave:</strong> Teatro do Oprimido. Augusto Boal. Educação. Paulo Freire.</p> 2020-05-18T19:28:38+00:00 Copyright (c) https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/7050 Caracterización de la acción pedagógica de docentes 2020-08-12T19:08:17+00:00 Adriana del Rosario Pineda Robayo adripineda10@hotmail.com Derlys Aminta Villadiego dvilladi3@cuc.edu.co <p>El objetivo del estudio es presentar un constructo que mida de forma general las características de la acción pedagógica de los profesores de Educación Inicial y primeros grados de Básica Primaria, en el sector público del Departamento del Atlántico, Colombia; enfocados en planeación, estrategias didácticas y ambientes educativos. Se realizó una prueba de consistencia interna, un análisis factorial exploratorio y un análisis factorial confirmatorio a la muestra piloto y final, de 135 y 130 docentes respectivamente, implementando SPSS y AMOS. Se comprobó que el cuestionario es confiable, para la prueba piloto y para la prueba definitiva, con un alfa de Cronbach de 0.782 y 0.756 respectivamente, pero no es válido tal como lo sustentan el estadístico Chi cuadrado y los índices de ajuste GFI, CFI, AGFI y RMSEA. Esta investigación se consolida como una guía para evaluar la práctica docente y facilitar su desarrollo profesional.</p> 2020-05-18T19:35:06+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/5923 Educação e revolução: um estudo comparado entre Lorenzo Milani e Johann Heinrich Pestalozzi 2020-08-12T19:12:48+00:00 Roberto Ribeiro da Silva perobertoribeiro@hotmail.com Antônio Basílio Novaes Thomas de Menezes gpfe.ufrn@gmail.com <p>O presente artigo é um estudo comparado (SAVIANI, 2001). Materializa-se a partir da análise comparativa desenvolvida entre duas percepções educativas revolucionárias com desdobramentos metodológicos e pedagógicos. A <em>primeira percepção,</em> materializada numa pequena vila da região de Florença (Itália), pelo padre Lorenzo Milani, entre os anos de 1954 a 1965, estabelece nexos com a <em>segunda percepção,</em> oriunda da reflexão e da prática do pedagogo e educador Johann Heinrich Pestalozzi, entre os anos de 1746 a 1827; como Milani, experienciou na prática a sua teoria pedagógica dirigida às crianças pobres e excluídas, moradoras da aldeia de Stans e Iverdon (Suíça). A partir das análises, nossos resultados demostram que tais práxis educativas denotam, pelo seu caráter visionário, dado o contexto e tempo, um caráter revolucionário, tornando-se fonte inspiradora a qualquer tempo na concepção ou na defesa de uma escola para todos</p> 2020-08-12T19:00:50+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/7045 Partisanas ante la adversidad:actitud resiliente de mujeres en contexto de pobreza de León- Guanajuato-México 2021-01-05T14:53:53+00:00 Célica Esther Cánovas Marmo celica.canovas45@gmail.com <p>Este texto recupera voces de mujeres que buscan sobreponerse y enfrentar situaciones adversas que se dan en la colonia Piletas, sección IV, uno de los ocho polígonos de pobreza que se ubican en León, Guanajuato. Justifica este tipo de estudio la necesidad de identificar personas con dicha actitud para favorecer acciones a partir de sus propias experiencias y propuestas que se implementen a futuro; con lo cual se fomenta la participación y corresponsabilidad ante circunstancias difíciles. El Programa de Intervención Social en Piletas (PISOPI), 2017, –producto de investigaciones previas–, llevado a cabo como un proyecto institucional de la Universidad del Valle de Atemajac (UNIVA) Campus León con el apoyo económico del gobierno municipal local, tuvo la intención de colaborar en el restablecimiento del tejido social destruido por la violencia socio-económica imperante. Y, al mismo tiempo, dio lugar a investigar las circunstancias y factores en las manifestaciones de actitudes resilientes denotadas por seis personas que actuaban en un grupo de participantes de la intervención mencionada. Se supuso que, detectar personas resilientes, colaboraría en la formación de grupos futuros, interesados en el bien común del lugar que habitan. El paradigma cualitativo, acorde a la perspectiva fenomenológica-hermenéutica, se cumplió mediante el estudio de casos; como investigación situada, las técnicas empledas fueron: a) encuesta basada en las categorías descriptivas de las personas resilientes aplicada al grupo de 20 personas, para seleccionar la muestra; b) entrevista a profundidad a cada personas seleccionadas, organizada con preguntas abiertas sobre temas específicos. Los resultados obtenidos evidenciaron que las seis mujeres seleccionadas denotaban un proceso de autorrealización al aprender a sobreponerse a circunstancias impuesta por la pobreza, acompañado de un crecimiento personal ante factores como la polarización económica y social; la inoperancia de los políticos; los desafíos en el liderazgo familiar de la mujer; la falta de educación de los sectores vulnerables.</p> 2020-11-10T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/7638 A contribuição dos instrumentos avaliativos para a autonomia na educação a distância 2021-01-05T14:53:21+00:00 Leandro de Oliveira Silva oliveiradasilvaleo@gmail.com David Almeida dos Santos davidpqdt8@gmail.com Hellen Candida Alves hellentquimicaiff@gmail.com <p>Este trabalho tem como objetivo analisar os principais instrumentos avaliativos empregados na Educação a Distância (EaD), investigando como eles interferem na prática pedagógica e no desenvolvimento da autonomia discente. Para isso, foi aplicado um questionário com perguntas destinadas a professores de escolas estaduais de uma cidade do Estado do Rio de Janeiro, que tenham participado de pelo menos um curso na modalidade a distância nos últimos cinco anos. Por meio da análise dos resultados, foi possível observar que existe consenso quanto à importância da avaliação formativa para o desenvolvimento do educando, ainda que grande parte dos professores também reconheça a avaliação somativa (aquela que considera apenas um resultado final como válido) como importante. Observou-se, também, que a maioria dos professores afirma avaliar seus alunos com instrumentos diferentes daqueles utilizados nos cursos EaD considerados. Conclui-se que a autoavaliação, enquanto instrumento de fundamental importância para o desenvolvimento da autonomia discente, é subutilizada na EaD. Faz-se necessário pensar sobre o papel da autoavaliação enquanto promotora do desenvolvimento do aluno da EaD.</p> 2021-01-04T15:40:03+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8006 Experiências cotidianas de um deficiente visual licenciando em Ciências e sua realidade inclusiva 2021-01-05T14:52:47+00:00 Jorgea Tânia Amazonas Barros barrustania23@gmail.com Fabricio Valentim da Silva fvalentims@yahoo.com.br Salomão Amazonas Barros salomaoamazonas@gmail.com <p>O processo de inclusão escolar e social ainda é uma das grandes dificuldades enfrentadas por pessoas com necessidades educacionais especiais (NEE). Nas universidades federais brasileiras, o ingresso de pessoas com deficiência é possível a partir de um conjunto de medidas, previstas em legislação, que asseguram não só o acesso, mas também condições plenas de participação e aprendizagem a todos os estudantes. O objetivo do presente trabalho foi conhecer as reais condições de inclusão de um aluno com deficiência visual de um curso de ensino superior de uma universidade federal, verificando se o acadêmico enfrentou barreiras de acessibilidade e identificando os fatores que garantiram a permanência do aluno no curso. Para tal, empregou-se a metodologia de aplicação de questionário aberto e abordagem qualitativa, no qual foram considerados seis tipos de acessibilidades: acessibilidade atitudinal, arquitetônica, comunicacional, instrumental, metodológica e programática. O procedimento utilizado foi a realização de uma entrevista semiestruturada, seguida de análise dos conteúdos coletados. Os resultados mostraram que é necessário investimento na formação de professores e planejamento em ações de conscientização sobre educação inclusiva junto à comunidade acadêmica, de maneira que sejam criadas condições de permanência para que os alunos com NEE concluam com êxito a sua graduação.</p> 2021-01-04T15:49:17+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/7941 Aprendizagem, comunicação e tradução intersemiótica: um estudo sobre "As trigêmeas" 2021-01-14T18:47:57+00:00 Maria Cecília Costa Braga da Silva mceciliacbraga@gmail.com Ítala Clay de Oliveira Freitas iclayfreitas@hotmail.com <p>Este artigo apresenta estudo teórico resultante de pesquisas bibliográficas desenvolvidas durante o Pibic 2017/2018 em Comunicação e posteriores estudos na área de Educação durante a pós-graduação. Propõe-se a tradução intersemiótica (Plaza, 2003) como estratégia de comunicação (Sodré, 2011) não só em sentido midiático, mas também em ambientes de aprendizagem. O <em>corpus</em> é o episódio “As Trigêmeas e A Volta ao Mundo em 80 Dias”<em>,</em> do desenho animado infantil <em>As Trigêmeas</em> (1995). Assim, foi criada a seguinte categorização das traduções intersemióticas no episódio em questão: traduções espaço-temporais; traduções de personagens e tecnologias; e, por fim, traduções de outras obras. Em seguida, os elementos narrativos observados foram articulados aos seguintes conceitos: tipos de tradução intersemiótica (Plaza, 2003); curiosidade epistemológica e consciência do inacabamento (Freire, 2017); aprendizagem significativa (Moreira, 1997); e consolidação da memória declarativa (Cosenza e Guerra, 2011). Conclui-se que a tradução intersemiótica tende a ser uma estratégia eficaz quanto à construção de conhecimentos e manutenção da memória ao longo da vida, contribuindo não só para o desenvolvimento cognitivo individual, mas também para a continuidade de obras através dos tempos.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Tradução Intersemiótica; Comunicação; Aprendizagem.</p> 2021-01-13T16:25:07+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8242 Produções em educação do campo 2021-01-14T18:47:26+00:00 Isabela da Silva Nascimento bela.sn@hotmail.com Fátima Moraes Garcia fatimamg2017@gmail.com <p>O presente artigo tem como objetivo analisar os questionamentos dos resumos das produções de conhecimento do Mestrado Profissional em Educação do Campo da UFRB, verificando nos resumos das dissertações que pesquisam a formação de professores, perguntas e respostas, se as perguntas realizadas foram respondidas. Com isso, este trabalho será baseado em cinco dissertações relacionadas à formação de professores das duas turmas já concluídas do mestrado em educação do campo da UFRB nos anos 2013 e 2014. Procurou-se responder a questão: Quais têm sido os questionamentos que aparecem nos resumos das produções de conhecimentos do Mestrado Profissional em Educação do Campo (PPGEducampo) da UFRB? Esses questionamentos estão sendo respondidos? Utilizou-se a pesquisa epistemológica para verificar perguntas e respostas das produções. Como resultado desse trabalho, percebemos que são várias as temáticas e questionamentos relacionados à educação do campo, os processos formativos em Pedagogia da alternância, formação continuada dos professores, proposta da pedagogia Histórico-Crítica na formulação dos currículos e formação de professores. Quanto aos resumos observamos que a maioria deixa explícito o que se pretende pesquisar e as respostas correspondem ao que foi proposto como questão da pesquisa.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Produção de Conhecimento; Educação do Campo; Formação de Professores. </p> 2021-01-13T16:33:24+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8283 Teatro na prisão como educação libertadora 2021-01-14T18:46:55+00:00 Anne Martins Afonso amafonso@uea.edu.br <p>Este artigo traz reflexões sobre as vivências ocorridas nos presídios localizados em meio à floresta amazônica, km 08 da BR 174 (Manaus-Venezuela) durante o Projeto Arbítrio: Teatro na Prisão, iniciado em 2015 e atuante até o presente momento. A base da pesquisa-ação fundamenta-se na<em> Pedagogia do Oprimido e da Autonomia, e Educação como Prática Libertadora</em> de Paulo Freire, bem como a <em>Estética do Oprimido</em> de Augusto Boal, revelando contradições existentes entre opressores e oprimidos no processo de conflitos e motivação à autonomia, identidade e legitimidade, por meio da linguagem teatral e do constante diálogo com todos os envolvidos nas penitenciárias de Manaus. A pergunta norteadora é: É possível ser livre na prisão? É possível a Educação Libertadora? A experiência revela que processos sensíveis podem ser motivados com muita potência pelo Teatro do Oprimido, mas dependem de outros fatores relacionados à estrutura e organização prisional.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Educação Libertadora; Estética do Oprimido; Pedagogia do Oprimido; Teatro na Prisão.</p> 2021-01-13T16:42:17+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8385 A docência no estágio supervisionado II, do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Amazonas 2021-01-14T18:46:27+00:00 Elenir da Conceição Lima Nicácio elenirnicacio@ufam.edu.br Rosa Mendonça de Brito rosa.m.brito@uol.com.br <p>As reflexões sobre o Estágio Supervisionado II, aqui apresentadas, visam contribuir para a formação de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental, especialmente na questão do domínio da docência no processo de ensino. É uma síntese dos resultados dos estudos e das pesquisas realizadas para a construção da Tese de doutorado, defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade do Amazonas. Realizada através de estudo de caso, os elementos que dão sustentação ao trabalho foram obtidos através de pesquisa teórica, documental e empírica, esta realizada através de entrevistas com cinco grupos de partícipes envolvidos com o processo de estágio: coordenação, professores orientadores, supervisores, estagiários e egressos. As análises qualitativas dos dados, realizadas a partir das categorias: organização, desenvolvimento e resultado, indicaram que O Estágio Curricular Supervisionado II, ao final do curso de Licenciatura em Pedagogia, não preparava, ou seja, não qualificava, em 2016, o aluno para a docência nos anos iniciais do Ensino Fundamental.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Docência; Estágio curricular supervisionado; Formação de professor; Curso de Pedagogia.</p> 2021-01-13T17:30:05+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8517 Representações sociais apreendidas da relação pedagógica em uma escola rural do Maranhão 2021-01-14T18:45:58+00:00 Gabriella Alves Ferreira gabriella.alvesfer@hotmail.com Maria Nubia Barbosa Bonfim bonfim@elointernet.com.br Dourivan Camara Silva de Jesus dourivam@hotmail.com <p>Este estudo analisa a construção da relação pedagógica no cotidiano dos atores educativos em situação de ensino em uma escola pública do Maranhão, apreendendo as Representações Sociais emanadas dessa relação. O aporte teórico assenta-se, principalmente, nos estudos clássicos sobre a relação pedagógica, e nas ideias seminais moscovicianas sobre a Teoria das Representações Sociais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, realizada em uma escola da zona rural, da qual participaram alunos, professores e membros da comunidade. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas semiestruturadas, em profundidade e por grupos focais. Os dados foram sistematizados de acordo com os procedimentos recomendados pela técnica de Análise de Conteúdo. Os resultados foram catalogados em quatro Unidades Temáticas. A análise dos dados permitiu confirmar que o convívio na escola e as representações comuns brotadas no meio familiar geram reciprocidades e sentimentos de pertencimento na relação pedagógica; e que as representações sociais emanadas da relação pedagógica estão ancoradas numa cultura, até certo ponto preservada, da qual moradores e alunos pesquisados se orgulham.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Relação Pedagógica; Representações Sociais; Comunidade.</p> 2021-01-13T17:38:24+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/amazonida/article/view/8617 Remuneração inicial docente da rede estadual de ensino de São Paulo: algumas comparações (1977-2014) 2021-01-14T18:45:30+00:00 Rubens Barbosa de Camargo rubensbc@usp.br Claudia Alves Pereira claudiaapprof@gmail.com <p>O presente trabalho é resultado de parte de pesquisa de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e busca analisar a remuneração inicial (RI) dos professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental da rede estadual de São Paulo, tendo como recorte temporal uma série histórica longa, o período de 1977 a 2014, &nbsp;e tomando como parâmetros comparativos o valor do Salário Mínimo Oficial (SMO) e o valor da Cesta Básica de Alimentos em São Paulo (CBA-SP). O método de investigação se caracteriza como de uma pesquisa exploratória, com base em análise bibliográfica e documental. Os resultados permitiram perceber que os parâmetros informam sobre um maior ou menor “poder de compra” no período, sendo que a pior relação do SMO com a CBA-SP ocorreu em outubro de 1994, em que 1 (um) SMO comprou somente 0,79 da CBA-SP e a melhor ocorreu em outubro de 2014 onde 1 (um) SMO conseguia adquirir 2,12 CBA-SP. Com relação aos docentes, efetuou-se a comparação entre a RI e a CBA-SP e a melhor relação ocorreu em 1977, em que 1 (uma) RI conseguia adquirir 8,90 CBA-SP, e a pior em 1991, quando foi possível adquirir somente 3,02 CBA-SP, caracterizando pior poder de compra dos docentes.</p> 2021-01-13T17:41:29+00:00 Copyright (c) 2021 Revista Amazônida: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas