A ALFABETIZAÇÃO CLIMATOLÓGICA: ANÁLISE DOS CONTEÚDOS DE CLIMATOLOGIA NOS LIVROS DIDÁTICOS E PREPOSIÇÃO DE NOVAS ESTRATÉGIAS PARA O ENSINO DO CLIMA.

Autores

  • Malu Ítala Araújo Souza
  • Adriana Olivia Sposito Alves de Oliveira

Resumo

O referente artigo demonstra os principais resultados feitos através da pesquisa-ação em escolas públicas da Região Metropolitana de Goiânia, que visa detectar algumas dificuldades e/ou perspectivas do ensino de climatologia geográficas nas séries iniciais do Ensino Fundamental II. Estes apontamentos são feitos principalmente nas relações escolares onde perpassa escolhas, autonomia, ação docente, dinâmicas peculiares ao universo da escola. Por isso, entendemos que pensar no processo de ensino e aprendizagem se faz necessário todos os dias, pois somente assim que podemos formar conhecimento crítico e consciente em nossas crianças. Portanto o ensino específico dos conteúdos de climatologia geográfica devem ser refletidos de acordo com os seus objetivos, pois os fenômenos, fatores, e os elementos climáticos, assim como outros conteúdos devem levar em consideração o espaço escolar e social que os alunos estão inseridos, para que os mesmo possam interagir com as temáticas no quais estão apreendendo. As interpretações das relações entre os elementos do clima são importantes desde o primórdio das civilizações, as dinâmicas climatológicas foram identificadas como sendo um dos principais fatores a serem considerado para o desenvolvimento econômico e social da humanidade. A climatologia no ensino escolar, normalmente é abordada nos livros didáticos e diretrizes curriculares, levando em consideração as relações dinâmicas e importância que há entre a superfície e a atmosfera. É por meio da abordagem sistêmica, ou seja, da interação entre a superfície terrestre e a atmosfera, que se dão as principais sequências didáticas que estão presentes nos currículos escolares e nos livros didáticos, ou seja, as matrizes onde se encontram as principais habilidades a serem desenvolvidas, durante a alfabetização climatológica, nas séries de 5° e 6° ano. Nesta perspectiva onde o livro é considerado um dos principais instrumentos utilizados nas escolas, é coerente pensar na mediação do professor para a alfabetização climatológica, uma vez que cabe a este a seleção dos conteúdos e dos livros e das ações, a fim de que os conceitos façam parte do contexto social e das vivências dos alunos, demonstrando que os conteúdos vão além dos muros das escolas e invadem as relações da aprendizagem escolar. Nessa perspectiva defendemos a necessidade de reflexão e aplicação de metodologias mais eficazes para o ensino e aprendizagem de climatologia, seja utilizando o livro didático ou de oficinas. Para compreendermos está relação, foi realizada uma análise no âmbito de auxiliar e propor questões pertinentes da atual conjuntura que se encontra o ensino de climatologia nos livros didáticos da segunda fase do Ensino Fundamental. Portanto, esse projeto vem abordar como a temática de clima vem sendo retratada nos livros didáticos propostos pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), principalmente os do 6° ano, tal como propor metodologias para suprir algumas lacunas, durante a alfabetização deste conteúdo. Para sistematizar a análise foi feito pesquisas bibliográficas do tema proposto em livros didáticos de Geografia e em obras de referência acadêmica. Levantamento documental em instrumento de avaliação curricular em diversas escalas. Análises qualitativas dos conteúdos dispostos nos livros didáticos e tabulação dos principais dados. Elaboração de materiais didáticos que compõe a mini-estação meteorológica (com materiais recicláveis), bem como experiências complementares que contribui par o entendimento da dinâmica climática. Avaliação da proposta didática e da contribuição das oficinas para o planejamento de novas metodologias de ensinagem, a fim de se deixar materiais didáticos para os professores. Diagnóstico da eficiência das metodologias, a partir da perspectiva do processo de ensino e aprendizagem, com os docentes e discentes e a elaboração do relatório final da pesquisa. A concepção da pesquisa está baseada na relação do aluno indagativo- reflexivo discutido por Shoko Kimura (2008), onde os discentes possam usar o livro didático tendo como principal foco a mediação do professor, permitindo que os mesmos formem conceitos argumentativos e questionadores sobre os conteúdos de clima. Para tanto utilizamos como referência a pesquisa-ação, onde os professores através da reflexão da sua ação docente buscam a construção do conhecimento junto aos alunos como agentes participantes do processo de ensino e aprendizagem. A pesquisa se encontra em andamento sendo que, partes dos resultados são obtidas através do projeto de pesquisa desenvolvido junto a Universidade Federal de Goiás, onde foram levantados os conteúdos mais pertinentes nos livros didáticos e nos currículos de geografia. Alguns resultados foram obtidos junto ao grupo focal da Rede de Pesquisa em Ensino de Cidades (REPEC) que visa à confecção do fascículo sobre o clima urbano da Região Metropolitana de Goiânia, nesta etapa está sendo planejadas e desenvolvidas oficinas relevantes ao ensino de climatologia, Assim como o contato com a escola campo – Colégio Maria de Fátima Santana em Aparecida de Goiânia – Goiás e o planejamento do Projeto de Intervenção Pedagógico. Ao final desta pesquisa, contribuiremos para o processo de ensino e aprendizagem de conteúdos climáticos por meio das análises dos livros didáticos e a constituição de um manual de oficinas didático-pedagógicas no âmbito de contribuir para o ensino de Climatologia Geográfica para escolares no 6° ano Ensino Fundamental. Portanto pesquisar e desenvolver metodologias para um espaço maravilhoso, a escola, onde o principal sujeito são aqueles que têm em suas mãos a vontade de saber o porquê, é gratificante. Seja através da mini-estação, ou do simples reparar do céu, a Geografia está além dos muros e das páginas do livro didático, ela está inserida dentro de nós, pois somos permeados de experiências de um espaço que não é estático, mas múltiplo, e que bom que nós professores de Geografia, temos o mundo como o nosso campo de estudo.

Downloads

Publicado

2012-10-06

Como Citar

Araújo Souza, M. Ítala, & Alves de Oliveira, A. O. S. (2012). A ALFABETIZAÇÃO CLIMATOLÓGICA: ANÁLISE DOS CONTEÚDOS DE CLIMATOLOGIA NOS LIVROS DIDÁTICOS E PREPOSIÇÃO DE NOVAS ESTRATÉGIAS PARA O ENSINO DO CLIMA. REVISTA GEONORTE, 3(8), 22–33. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/2259