EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ARTICULADORA PARA A GESTÃO AMBIENTAL DO TERRITÓRIO: A PRESERVAÇÃO DAS NASCENTES DO IGARAPÉ DO MINDU – MANAUS

  • Maria das Graças Medeiros Borges
  • Elizabeth da Conceição Santos
Palavras-chave: Gestão Ambiental, Preservação de Nascentes, Educação Ambiental

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar uma discussão teórico-metodológica da gestão ambiental para apreservação de nascentes, na perspectiva de analisar as nascentes do Igarapé do Mindu, observando aproblemática - crescimento versus preservação ambiental - de maneira a proporcionar bases paradiscussão e apresentação de alternativas de gestão ambiental para a proteção de nascentes dos igarapésde Manaus. Neste sentido, faremos uma abordagem Geográfica das políticas de Gestão Ambientalvoltadas para o planejamento e ordenamento do territorial a partir da bacia hidrográfica, na busca porapontar a Educação Ambiental como articuladora desse processo. Ocupações antrópicas às margens decórregos e nascentes têm sido frequentes nas cidades amazônicas, onde muitas vezes, o poder públiconão consegue alcançar com suas políticas, seja pela imensidão do território, seja pela ineficiência dosequipamentos públicos. Nenhuma civilização conseguiu florescer sem ter resolvido o problema deobtenção dos recursos hídricos, matéria-prima fundamental e veículo propiciador do desenvolvimentoeconômico. Portanto, pensar ações que possibilitem o desenvolvimento de políticas públicas para aproteção de nascentes, em áreas urbanas, deve se tornar realidade à medida que a comunidade e opoder público consigam articular-se e, a Educação Ambiental tem o desafio na formação dessa novapostura.
Publicado
2012-11-16
Como Citar
Medeiros Borges, M. das G., & Conceição Santos, E. da. (2012). EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO ARTICULADORA PARA A GESTÃO AMBIENTAL DO TERRITÓRIO: A PRESERVAÇÃO DAS NASCENTES DO IGARAPÉ DO MINDU – MANAUS. REVISTA GEONORTE, 3(6), 114 - 126. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/1929