O Porto como Território de Trabalho: manifestações de trabalho no Porto de Parintins

  • Adelson da Costa Fernando Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia/ICSEZ/UFAM
  • Laranna Prestes Catalão Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Este artigo propõe a compreensão do porto de Parintins como território de trabalho e pretende dar inteligibilidade às várias expressões de trabalho que se estabeleceram nesse espaço. A cidade de Parintins, cidade amazônica à beira-rio, está situada à margem direita do Rio Amazonas; distante 420 km via fluvial de Manaus; é um território em que se vislumbram várias modalidades de expressão de trabalho, através das quais é possível a compreensão de um pedaço dessa complexidade que é a Amazônia. Além dos trabalhadores portuários avulsos, outros segmentos labutam diariamente no Porto: vendedores de artigos diversos e alimentação, taxistas, mototaxistas, tricicleiros, vendedores de passagens de barcos, navios e lanchas expressas e os trabalhadores avulsos não-portuários – amarradores de embarcação e carregadores e transportadores de bagagens.

Biografia do Autor

Adelson da Costa Fernando, Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia/ICSEZ/UFAM
Sociólogo, bacharel e licenciado em ciências sociais/UFAM, mestre em Sociedade e cultura na Amazônia/PPGSCA/UFAM, doutorando em ciências sa religião/PUC-GOIÁS e professor assistente do ICSEZ/UFAM.
Laranna Prestes Catalão, Universidade Federal do Amazonas
Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Amazonas (2011) e mestrado em Serviço Social pela Universidade Federal do Amazonas (2014), atuando principalmente nos seguintes temas: saúde do trabalhador, trabalho precário, serviço social e trabalho.
Publicado
2015-03-26