OS CONFLITOS FUNDIÁRIOS ENTRE SESMEIROS E POSSEIROS NOS SERTÕES DO MARANHÃO, PIAUÍ E BAHIA DURANTE O PROCESSO DE CONSOLIDAÇÃO DA CONQUISTA E OCUPAÇÃO COLONIAL (SÉCULOS XVII E XVIII)

THE LAND CONFLICTS BETWEEN SESMEIROS AND POSSEIROS IN THE BACKLANDS OF MARANHÃO, PIAUÍ AND BAHIA DURING THE CONSOLIDATION PROCESS OF THE COLONIAL CONQUEST AND OCCUPATION 17TH AND 18TH CENTURIES)

  • Samir Lola Roland Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Ocupação;, Sesmarias;, Conflitos de terras

Resumo

Este artigo analisa a concessão de sesmarias e os conflitos fundiários entre sesmeiros e posseiros que ocorreram na parte oriental do Maranhão e no Piauí desde o final do século XVII até 1751, quando há uma inversão política e administrativa, tornando-se Estado do Grão Pará e Maranhão, prolongando-se até o final do governo de Francisco Xavier de Mendonça Furtado (1751-1759). Esse processo representou uma preocupação constante da Coroa portuguesa com o controle político e administrativo da ocupação e do povoamento na região. As ações e decisões da Coroa, governadores e autoridades régias – como ouvidores e provedores –, tiveram como objetivo principal o ordenamento da ocupação e do povoamento, com várias tentativas de regulamento desses conflitos que envolveram indígenas, moradores, senhorios e religiosos na região.

Palavras-chave: Ocupação; Sesmarias; Conflitos de terras.

Biografia do Autor

Samir Lola Roland, Universidade Federal do Maranhão

É mestre em História pelo Programa de Pós-graduação em História Social da Amazônia na UFPA, sob a orientação do professor doutor Rafael Chambouleyron. Foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES (março/2015-2017), período de produção deste estudo. Essa discussão faz parte da dissertação: ROLAND, Samir Lola. Sesmarias, índios e conflitos de terra na expansão portuguesa no vale do Parnaíba, (Maranhão e Piauí, séculos XVII e XVIII). 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal Pará, Belém, 2018. Atualmente, é doutorando em História pelo Programa de Pós-graduação em História e Conexões Atlânticas pela UFMA e professor de História pela Secretaria de Estado da Educação – SEDUC, no município de Pinheiro, Maranhão. E-mail: samirlolaroland@gmail.com

Referências

Referências Bibliográficas

ALENCASTRE, José Martins Pereira de. “Memória cronológica, histórica e corográfica da Província do Piauí”. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, tomo XX (1857).

ASSUNÇÃO, Paulo de. Negócios Jesuíticos: O Cotidiano da Administração dos Bens Divinos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

AVEAL, Carmen Margarida Oliveira. De senhorio colonial a território de mando: os acossamentos de Antônio Vieira de Melo no Sertão do Ararobá (Pernambuco, século XVIII). São Paulo: Revista Brasileira de História. v. 35, nº 70, 2015.

BANDEIRA, Luiz Alberto Moniz. O feudo: A Casa da Torre de Garcia d’Ávila: da conquista dos sertões à independência do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

BRANDÃO, Tanya Maria Pires. O escravo na formação social do Piauí: perspectiva histórica do século XVIII. Teresina: Editora da Universidade Federal do Piauí, 1999.

CABRAL, Maria do Socorro Coelho. Caminhos do gado: conquista e ocupação do sul do Maranhão. São Luís: Edufma, 2008.

CHAMBOULEYRON, Rafael; MELO, Vanice de. Governadores e índios, guerras e terras entre o Maranhão o Piauí (Primeira metade do século XVIII). Revista de História. São Paulo, nº 168, jan./jun., 2013.

CALMON, Pedro. História da Casa da Torre: Uma dinastia de pioneiros. 1549-1835. (Coleção documentos brasileiros, 22). Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, ‘1941.

CARRARA, Ângelo Alves. Minas e Currais: produção rural e mercado interno de Minas Gerais 1674-1807. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

COELHO, Mauro Cezar. Do sertão para o mar. Um estudo sobre a experiência portuguesa na América, a partir da Colônia: o caso do Diretório dos índios (1751-1798). Tese de doutoramento (USP), 2005.

COSTA, Francisco A. Pereira da. Cronologia Histórica do Estado do Piauí. Rio de Janeiro: Editora Artenova s. a., 1974.

DINIZ, Mônica. Sesmarias e posse de terras: política fundiária para assegurar a colonização brasileira. Revista Histórica, nº 2, jun., 2005.

LAGO, Antônio Bernardino Pereira do. Estatística histórico-geográfica da Província do Maranhão. São Paulo: Editora Siciliano, 2001, p. 24.

LIMA SOBRINHO, Barbosa. O devassamento do Piauí. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946.

MARQUES, César Augusto. Dicionário Histórico-Geográfico da Província do Maranhão. São Luís: Cia. Editora Fon-Fon e Seleta Rio, 1970. Coleção São Luís – 3.

MEIRELES, Mário M. História do Maranhão. São Paulo: Editora Siciliano, 2001.

MIRANDA, Reginaldo. A Ferro e Fogo: a vida e morte de uma nação indígena no sertão do Piauí. Teresina: [s.n.], 2005.

MOTT, Luiz. Piauí colonial: população, economia e sociedade. Teresina: APL; FUNDAC; DETRAN, 2010.

MOTA, Antônia da Silva. Batismo, família e escravidão no Maranhão Colonial. Afro-Ásia, n. 55, 2017.

MOTTA, Márcia. Direito à terra no Brasil: a gestação do conflito, 1795-1824. São Paulo: Alameda, 2009.

NUNES, Odilon. Pesquisas para a História do Piauí. Teresina: FUNDAPI; Fundação Monsenhor Chaves. 2007.

NETO, José Maia Bezerra. Escravidão negra no Grão-Pará (séculos XVII-XIX). Belém: Paka-Tatu, 2012.

PESSOA, Ângelo Emílio. Ruínas da Tradição: A Casa da Torre Garcia D’Ávila – família e propriedade no Nordeste colonial. São Paulo: Tese de doutorado em História: FFLCH/USP, 2003.

PORTO, Carlos Eugênio. Roteiro do Piauí. Rio de Janeiro: Editora Artenova s. a., 1974.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Espelhos partidos: etnia, legislação e desigualdade na colônia. Manaus: Editora da Universidade Federal do Amazonas, 2011.

SANTOS, Fabiano Vilaça dos. O governo das conquistas do norte: trajetórias administrativas no Estado do Grão-Pará e Maranhão (1751-1780). Tese de doutoramento: São Paulo (2008).

SCHWARTZ, Stuart B. Burocracia e sociedade no Brasil colonial: o Tribunal Superior da Bahia e seus desembargadores, 1609-1751. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

SILVA, Lígia Osório. Terras Devolutas e Latifúndio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2008.

SOUSA JUNIOR, José Alves de. Tramas do cotidiano: religião, política, guerra e negócios no Grão-Pará do setecentos. Belém: ed. UFPA, 2012.

SOUSA, Laura de Melo. Norma e conflito: Aspectos da História de Minas no Século XVIII. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

VIVEIROS, Jerônimo de. História do comércio do Maranhão 1612-1895. São Luís: Edição Fac-Similar, 1992.

Publicado
2021-05-26
Como Citar
Roland, S. L. (2021). OS CONFLITOS FUNDIÁRIOS ENTRE SESMEIROS E POSSEIROS NOS SERTÕES DO MARANHÃO, PIAUÍ E BAHIA DURANTE O PROCESSO DE CONSOLIDAÇÃO DA CONQUISTA E OCUPAÇÃO COLONIAL (SÉCULOS XVII E XVIII): THE LAND CONFLICTS BETWEEN SESMEIROS AND POSSEIROS IN THE BACKLANDS OF MARANHÃO, PIAUÍ AND BAHIA DURING THE CONSOLIDATION PROCESS OF THE COLONIAL CONQUEST AND OCCUPATION 17TH AND 18TH CENTURIES). Canoa Do Tempo, 13, 1-28. https://doi.org/10.38047/rct.v13.FC.2021.al3.p.1.28
Seção
Artigos Livres