CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ: CENTRO DO RIO GRANDE DO SUL

Morphometric Description of the Vacacaí River Basin: Center of Rio Grande do Sul

  • Giorge Gabriel Schnorr Universidade Federal de Santa Maria
  • Anderson Augusto Volpato Sccoti Universidade Federal de Santa Maria
  • Carina Petsch Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Geoprocessamento; Morfometria; Relevo

Resumo

Os trabalhos científicos destinados à descrição do meio físico são importantes ferramentas de diagnóstico e de subsídio ao planejamento. Na ciência geográfica, as técnicas e tecnologias voltadas ao diagnóstico dos componentes da natureza, vem avançando, principalmente ligadas à evolução da informática. O presente artigo tem como objetivo apresentar o levantamento morfométrico da Bacia Hidrográfica do Rio Vacacaí. Os procedimentos metodológicos utilizados foram baseados na utilização de SIG, MDE e análises estatísticas dos componentes do meio relacionados a drenagem, altitudes, declividades e índice de concentração de rugosidades, o qual teve como papel demonstrar as principais formas de relevo. Em termos de resultados foram apresentados mapas, tabelas e figuras, com foco na descrição e na quantificação dos atributos morfométricos da bacia hidrográfica. A hierarquia do Rio Vacacaí chega à 7ª ordem, os padrões de drenagem são dendríticos, paralelos e retangulares. A amplitude altimétrica da BHRV é superior a 400 metros e as declividades variam entre 0 e >30%. Através do índice de concentração de rugosidades foi possível definir automaticamente as principais formas do relevo. A análise morfométrica, elaborada através de técnicas computacionais, possibilitada pelo geoprocessamento, apresenta um teor quantitativo e descritivo do ambiente, possibilita a aquisição de dados, que servem tanto para o planejamento, como também de base para outros trabalhos e análises aprofundadas do espaço geográfico.

Referências

BERTOLINI, William; ZANETE, Sandra Cristina Deodoro; BOETTCHER, Neimar. Análise Morfométrica da Bacia do Rio Barra Grande–Oeste de Santa Catarina. Revista Brasileira de Geomorfologia, Unb, 20.1, p. 3-17, 2019.

BOTELHO, Rosângela Garrido Machado; SILVA, Antonio Soares da. Bacia Hidrográfica e qualidade ambiental. In: VITTE, Antonio Carlos; GUERRA, Antonio José Teixeira. Reflexões sobre a geografia física no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. 153-192, 2004.

CARON, Felipe. Geoturismo na área de abrangência do COREDE Campanha (metade sul do Rio Grande do Sul, Brasil), parte I: Geomonumentos de interesse turístico. Revista terra plural. V. 13, n. 2, p. 469-495, 2019.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Análise morfométricas de bacias hidrográficas. Notícia Geomorfológica, v.18, n.9, p.35-64,1969.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Geomorfologia. Editora Blucher, 1988. 188 p.

CHRISTOFOLETTI, Antônio. Geomorfologia – São Paulo: Edgard Blucher: EDUSP, 1974, 149 p.

FARIA, Maola Monique; ZACCHI, Raquel Callegario; FERREIRA, Elaine Santiago; DIAS, Herly Carlos Teixeira. Caracterização morfométrica e Biológica da Bacia Hidrográfica do Córrego Serafim, Sub-Bacia do Rio Paraibuna, Juiz de Fora MG. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 13, 2009, Viçosa, MG. [Anais...] Viçosa, MG: Editora da Universidade Federal de Viçosa, 13., 2009.

FLORENZANO, Teresa G. Geomorfologia: conceitos e tecnologias atuais. São Paulo: Oficina de Textos. 2008, 320 p.

FLORES, Diego Moraes; OLIVEIRA, Déborah. Aplicação do Índice de Concentração de Rugosidade (ICR) para análise de bacias hidrográficas e para traçado de lineamentos estruturais. Geografia Ensino & Pesquisa, UFSM, v. 20 n.3, 2016. 125-139.

HASENACK, Heinrich; WEBER, Eliseu José.(org.) Base cartográfica vetorial contínua do Rio Grande do Sul - escala 1:50.000. Porto Alegre: UFRGS Centro de Ecologia. 2010. 1 DVD-ROM. (Série Geoprocessamento n.3). ISBN 978-85-63483-00-5 (livreto) e ISBN 978-85-63843-01-2 (DVD).

HORTON, Robert E. Erosional development of streams and their drainage basins; hydrophysical approach to quantitative morphology. Geological society of America bulletin 56.3 (1945): 275-370.


IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS. Mapa geomorfológico do Estado de São Paulo. Escala 1:1 000 000. São Paulo: IPT, 1981.

MEGIATO, Érica Insaurriaga; MOURA, Nina Simone Vilaverde. Mapeamento geomorfológico da Bacia Hidrográfica do Arroio Pelotas, RS. Geografia (Londrina) 28.1 (2019): 151-163.

MOREIRA, Jasmine Cardozo. Geoturismo e interpretação ambiental. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 2014. 157p.

PIRAJÁ, Rennan Vilhena; REZENDE FILHO, Ary Tavares. ANÁLISE MORFOMÉTRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO CEROULA EM MATO GROSSO DO SUL. Geofronter, Campo Grande, n. 5, v. 1, p. 35-58, 2019.

ROBAINA, Luis Eduardo de Souza; TRENTIN, Romário; BAZZAN, Thiago; RECKZIEGEL, Elisabete Weber; VERDUN, Roberto; DE NARDIN, Dionara. Compartimentação Geomorfológica da Bacia Hidrográfica do Ibicuí, Rio Grande do Sul, Brasil: proposta de classificação. Revista Brasileira de Geomorfologia, Unb, v 11.2, 2010.

ROSA, Eloisa Penna da. Geotecnologias aplicadas à compartimentação geomorfológica do município de São Sepé-RS. Dissertação (Mestrado em Geografia) PPGGeo, UFSM, Santa Maria, p.115. 2019.

ROSS, Jurandyr. Geomorfologia Aplicada aos EIAs – RIMAs In: GUERRA, Antônio José Teixeira; CUNHA, Sandra Batista. (org). Geomorfologia e Meio Ambiente. 3ª. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. 291 – 335, 2000.

SAMPAIO, Tony Vinicius Moreira; AUGUSTIN, Cristina Helena Ribeiro Rocha. Índice de concentração da rugosidade: uma nova proposta metodológica para o mapeamento e quantificação da dissecação do relevo como subsídio a cartografia geomorfológica. Revista Brasileira de Geomorfologia, Unb v.15 n.1, p. 47-60, 2014.

SANTOS, Vinicius Silveira dos; ROBAINA, Luis Eduardo de Souza; TRENTIN, Romário. Definição das Unidades de Relevo na Bacia Hidrográfica do Rio Jaguari–Oeste do RS. Geografia Ensino & Pesquisa, UFSM, v. 21, N.2, 2017, p.197-204.

SILVEIRA, Claudinei Taborda; FIORI, Alberto Pio; FERREIRA, Antonio Marcos; FELIPE, Rogério da Silva; KEPEL FILHO, José Luiz; FOLADOR, Rodrigo Marques; COSTA, Luis Carlos. Análise do Fator de Segurança da Estabilidade das Vertentes na Bacia do Rio Jacareí, Serra do Mar Paranaense. Revista Brasileira de Geomorfologia, Unb, v. 13. n. 3, p. 287-297, 2013.

SILVEIRA, Ricardo Michael Pinheiro; DA SILVEIRA, Claudinei Taborda; OKA-FIORI, Chisato. Emprego de técnicas de inferência espacial para identificação de unidades de relevo apoiado em atributos topográficos e árvore de decisão. Revista brasileira de geomorfologia, Unb, v. 15, n. 1, p. 87-101, 2014.

TRENTIN, Romário. Mapeamento geomorfológico e caracterização geoambiental da Bacia Hidrográfica do Rio Itu - no Oeste do Rio Grande do Sul – Brasil. Tese (doutorado) Universidade Federal do Paraná – Programa de Pós-Graduação em Geografia. Curitiba, 2011.

WALTER, Paula Lima. Hidrologia florestal aplicada ao manejo de bacias hidrográficas. 1996. p. 256.

WILDNER, Wilson; RAMGRAG, Gilberto Emilio; LOPES Ricardo da Cunha; IGLESIAS, Carlos Moacyr da Fontoura. Mapa Geológico do Estado do Rio Grande do Sul. 1:750000. CPRM, Serviço Geológico do Brasil. Porto Alegre, RS. 2006
Publicado
2021-06-25
Como Citar
Schnorr, G. G., Volpato Sccoti, A. A., & Petsch, C. (2021). CARACTERIZAÇÃO MORFOMÉTRICA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ: CENTRO DO RIO GRANDE DO SUL: Morphometric Description of the Vacacaí River Basin: Center of Rio Grande do Sul. REVISTA GEONORTE, 12(39), 44-63. https://doi.org/10.21170/geonorte.2021.V.12.N.39.44.63
Seção
Artigos