Análise da conjuntura social em Coari a partir das responsabilidades socioambientais do município frente a acordos internacionais – o caso da Petrobras e a agenda 21.

  • Yan Borges da Silva Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
  • Paola Verri de Santana
Palavras-chave: Coari, Petrobrás, Agenda 21, Políticas Sociais.

Resumo

Após a Segunda Guerra Mundial, as nações passam a se preocupar com as questões socioambientais devido à drástica situação de poluição, desmatamento e pobreza que o mundo se encontrava. A Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano(Estocolmo 72) e a Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente e o Desenvolvimento (RIO 92) representou essa inquietação dos países em propor soluções para essas problemáticas. A Agenda 21, subscrita nesta última por 179 países retratou a responsabilidade dessas nações em viabilizar o desenvolvimento econômico de forma sustentável a partir de ações sociais e ambientais. Esses acordos estão sujeitos a serem aplicados pelo Estado, junto e Organizações Não Governamentais (ONGs) e empresas privadas. Logo, o Estado brasileiro viabilizou a Agenda 21 brasileira que tem o intuito de promover o desenvolvimento econômico, compatibilizando a conservação ambiental e justiça social. Coari possuindo grande importância Geopolítica, haja vista que detém reservas significativas de petróleo, adentrou nos planos de Desenvolvimento Sustentável do Estado brasileiro. A partir disso, a Petrobras junto à prefeitura promoveu a Agenda 21 comunitária em sete comunidades de Coari: Lauro Sodré, Urucu, Nova Esperança, União, Pera, Vila Lira, Santa Luzia do Bucuizinho. Desenvolveram, então, projetos sociais, sendo eles: Comércio Ribeirinho da Cidadania e Solidário II, Produção de Alevinos de Peixes Amazônicos: Geração de Renda e Sustentabilidade da Cadeia Produtiva na Aquicultura. Assim, orientando-se pelos princípios da Agenda 21 nacional e a partir disso realizando junto a Petrobras e seus repasses, políticas socioambientais com a pretensão de promover o desenvolvimento sustentável e a justiça social. Entretanto, essas políticas de desenvolvimento social na região não atendem as reais adversidades das comunidades, como o acesso a energia elétrica, abastecimento de água e áreas de lazer, demostrando que os repasses financeiros parecem estar sendo pouco utilizados.

Biografia do Autor

Yan Borges da Silva, Universidade Federal do Amazonas, UFAM, Brasil.
Graduando em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas.
Paola Verri de Santana
Professora do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas-UFAM.
Publicado
2017-05-15
Como Citar
Borges da Silva, Y., & Verri de Santana, P. (2017). Análise da conjuntura social em Coari a partir das responsabilidades socioambientais do município frente a acordos internacionais – o caso da Petrobras e a agenda 21. REVISTA GEONORTE, 8(28), 51 - 64. https://doi.org/10.21170/geonorte.2017.V.8.N.28.51.64