O ÍNDICE DE TEMPERATURA FISIOLÓGICA EQUIVALENT (PET) APLICADO A LONDRINA - PR. E SUA RELAÇÃO COM AS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS

  • Denise Maria Sette
  • Helena Ribeiro
  • Edelci Nunes da Silva

Resumo

Objetivo foi analisar a relação das doenças respiratórias na área urbana de Londrina com o conforto térmico. O PET foi calculado com o software Rayman versão 2.0, utilizando-se os dados diários de temperatura do ar, umidade relativa, velocidade do vento (m/s) e radiação global (MJ/m2). A população estudada foram crianças menores de 9 anos e idosos acima de 60. Os dados de morbidade foram obtidos das AIHs do DATASUS, nos anos de 2006 a 2009. Foi usado Modelo de Regressão Logística para a associação. A maior parte do tempo Londrina encontra-se na faixa de conforto (18º C – 26º C) e sem estresse térmico. No outono, inverno e início da primavera ocorrem, com freqüência, índices inferiores a 18º C (pouco frio) e alta incidência de doenças respiratórias, especialmente em crianças. A partir de meados da primavera e verão aparecem índices maiores de 26º C (Pouco calor ), os quais não têm tanta influência nas referidas doenças. A associação estatística entre conforto térmico e internações hospitalares por doenças respiratórias apresentou forte significância (p< 0,05), especialmente para a estrutura de defasagem de dois dias Os resultados deste estudo podem contribuir para o melhor entendimento dos prováveis impactos à saúde decorrentes das mudanças climáticas globais.
Publicado
2012-10-06
Como Citar
Maria Sette, D., Ribeiro, H., & Nunes da Silva, E. (2012). O ÍNDICE DE TEMPERATURA FISIOLÓGICA EQUIVALENT (PET) APLICADO A LONDRINA - PR. E SUA RELAÇÃO COM AS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. REVISTA GEONORTE, 3(9), 813 -. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/2539