MINERAÇÃO NA AMAZÔNIA E IMPACTOS NA NASCENTE DA MICRO BACIA DO RIO ÁGUA BOA EM JURUTI

  • Edilson Santarem Marturano
  • Edivim Gomes da Silva
Palavras-chave: Mineração, Impacto, Amazônia, Bacia Hidrográfica.

Resumo

A Amazônia no seu processo histórico sempre apresentou um modelo de desenvolvimento voltadopara exportação de matérias primas, ou seja, no modelo primário-exportador favorecendo assim abalança comercial, dessa forma consolidando as commodities, para o crescimento econômico do país econsequentemente para a região. Esse modelo que consolidou a expansão capitalista proporcionou umcenário de devastação, resultando uma história de perdas para a biodiversidade da Amazônia. Otrabalho a seguir propõe reflexões no âmbito da Mineração na Amazônia e seus impactos no MeioFísico, no qual abordaremos uma das nascentes da Micro Bacia do Rio Água Boa em Juruti, no Estadodo Pará. O trabalho proposto traz à tona a presença marcante do Capital e sua conseqüente degradaçãoambiental na Amazônia. O objetivo deste trabalho é proporcionar um entendimento sobre os impactosambientais que a nascente sofreu e abordar quais as conseqüências socioeconômicas presentes nacomunidade do entorno, a partir desse fenômeno. Conseqüências estas provocadas pela construção daferrovia para transporte de minério, de uma das líderes no mercado mundial de bauxita, a Alcoa. Osprocedimentos metodológicos deste trabalho se fundamentam na construção de mapa, pesquisa decampo contendo entrevistas, análises de documentos, pesquisa na internet e fundamentação teórica. Asentrevistas são apresentadas como instrumento para dar norte às reflexões do tema em estudo, sendoque serão aplicados questionários para os entrevistados. Já as análises dos documentos encontradossão importantes para fundamentar o entendimento do processo de construção da ferrovia, impactosgerados e eventuais ações recomendadas pelos órgãos competentes para a recuperação da áreadegradada. Os resultados preliminares obtidos nos indicam impactos na vegetação da mata ciliar danascente, conforme previsto nos estudos de impactos ambientais da mineradora, no qual apresentacomo medida mitigadora conservação da flora, remoção da vegetação de forma gradual e ordenada, erecuperação da área degradada. Neste ponto verificamos que em sua matriz de impacto ambiental oempreendedor classifica o impacto como reversível e de duração temporária, mas o que se constata éque o impacto ainda esta presente, apesar de realizarem trabalhos para recuperação, encontramospouca mudança na vegetação após esse trabalho. Já no que diz respeito à alteração da qualidade daságuas superficiais a matriz de impacto classifica, também, como reversível e de duração temporária,mas em sua nascente verificamos ausência total de água o que comprova a intensificação de erosão eassoreamento previsto na matriz de impacto, que não foi devidamente trabalhado suas açõesmitigadoras que seriam: sistema de drenagem, contenção de sedimentos e monitoramento de pontoscríticos como é caso das nascentes, conforme está presente no referido documento.
Publicado
2012-11-16
Como Citar
Marturano, E. S., & Gomes da Silva, E. (2012). MINERAÇÃO NA AMAZÔNIA E IMPACTOS NA NASCENTE DA MICRO BACIA DO RIO ÁGUA BOA EM JURUTI. REVISTA GEONORTE, 3(6), 1093 - 1104. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/2008