INFLUÊNCIA DO MATERIAL PARTICULADO (PM2.5) DE QUEIMADAS E VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA MORBIDADE RESPIRATÓRIA DE CRIANÇAS EM MANAUS, AM

Autores

  • Valdir S. Andrade
  • Paulo Artaxo
  • Sandra Hacon
  • Cleber N. Carmo

Palavras-chave:

Aerossóis, Queima de biomassa, Saúde Ambiental, Amazônia.

Resumo

O estudo teve como objetivo investigar a relação entre a exposição ao material particulado fino (PM2.5) emitido em queimadas e as internações hospitalares por doenças respiratórias em crianças residentes em Manaus, no período de 2002 a 2009. Foram utilizadas correlação de Pearson e regressão linear múltipla, com p-valor < 0.05. Os meses entre agosto e novembro (período seco da região), apresentaram os maiores níveis médios de PM2.5, estimados entre 18 a 23 μg/m³ e os maiores números de focos de queimadas detectados. As maiores taxas de internações foram observadas durante a estação chuvosa, sendo abril o mês de maior taxa, com 2,51/1.000 crianças. Foi observada associação positiva entre as internações e a umidade relativa (R=0,126; p-valor=0,005), enquanto que a associação entre internações com PM2.5 mostrou-se negativa (R= –0,168; p-valor=0,003). As internações de crianças por doenças respiratórias, em Manaus, podem estar mais associadas às condições meteorológicas principalmente a umidade, do que em relação à exposição dos aerossóis emitidos em focos de queimadas da região.

Downloads

Publicado

2012-12-05

Como Citar

Andrade, V. S., Artaxo, P., Hacon, S., & N. Carmo, C. (2012). INFLUÊNCIA DO MATERIAL PARTICULADO (PM2.5) DE QUEIMADAS E VARIÁVEIS METEOROLÓGICAS NA MORBIDADE RESPIRATÓRIA DE CRIANÇAS EM MANAUS, AM. REVISTA GEONORTE, 3(4), 744–758. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/1871