INTERPOLAÇÃO ESPACIAL NA CLIMATOLOGIA: ANÁLISE DOS CRITÉRIOS QUE PRECEDEM SUA APLICAÇÃO

  • Elis Dener Lima Alves
  • Marcelo Sacardi Biudes
  • Francisco Arthur Silva Vecchia
Palavras-chave: acurácia, espacialização, isolinhas.

Resumo

Diversos estudos têm utilizado mapas de isolinhas para a representação espacial de um dado
fenômeno. No âmbito da climatologia urbana, esses mapas vêm sendo amplamente utilizados para
identificação do fenômeno conhecido como ilhas de calor. Entretanto, a maioria dos trabalhos não
realiza uma análise criteriosa na escolha dos métodos de interpolação. Dessa forma, o objetivo desta
pesquisa foi avaliar o desempenho de diferentes métodos de interpolação para a temperatura do ar no
campus de Cuiabá da Universidade Federal de Mato Grosso. Para isso foram realizadas coletas de
temperatura do ar entre os dias 23 e 27 de abril de 2010, em seguida as interpolações foram analisadas
por meio de índices estatísticos. Apesar dos resultados evidenciarem que não houve uma diferença
estatística significativa entre os seis melhores métodos de interpolação, constatou-se que o método da
krigagem obteve um ótimo desempenho na interpolação para a temperatura do ar. Contudo, destaca-se
que um ótimo método de interpolação espacial para um elemento meteorológico ou área de estudo
pode não ser satisfatório para outros elementos ou outras áreas. Deve-se escolher o método de
interpolação de acordo com o objeto de estudo, área de pesquisa e escala de análise.

Biografia do Autor

Elis Dener Lima Alves
UFAM
Publicado
2012-10-06
Como Citar
Lima Alves, E. D., Sacardi Biudes, M., & Arthur Silva Vecchia, F. (2012). INTERPOLAÇÃO ESPACIAL NA CLIMATOLOGIA: ANÁLISE DOS CRITÉRIOS QUE PRECEDEM SUA APLICAÇÃO. REVISTA GEONORTE, 3(8), 606 -. Recuperado de https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revista-geonorte/article/view/2398