O olhar sem a fome da definição

  • Iury Carlos Bueno

Resumo

O presente artigo é dedicado a uma reflexão sobre as possíveis intersecções entre fotografia e haikai encontradas na obra de Roland Barthes, abarcando aquelas obras do autor suscetíveis de ilustrá-las, a saber: Império dos Signos (1970), O Neutro (1977-1978), A Preparação do Romance (1978-1979) e A Câmara Clara (1980). Nosso foco é sobre o possível emaranhamento do conceito de "punctum" e "neutro", respectivamente, referindo-se à imagem fotográfica e à escrita, e igualmente supondo um escape do paradigma do significado.

Palavras-chave: Roland Barthes, Semiótica da Fotografia, Haicai, Punctum, Neutro.

Biografia do Autor

Iury Carlos Bueno
Possui graduação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná-UFPR e mestrado em Estudos de Linguagens pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul-UFMS. Atualmente é professor da Universidade Federal do Amazonas-UFAM. Tem experiência na área de Comunicação e Artes, com ênfase em Fotografia, atuando principalmente nos seguintes temas: fotografia e arte.
Publicado
2015-03-26