A construção discursiva do “Globo Repórter” sobre os agentes sociais da Amazônia

  • Juliana de Oliveira Vicentini

Resumo

A mídia é produtora de versões sobre a realidade, contribuindo informalmente na educação dos indivíduos. No Brasil, o principal conglomerado midiático, ‘a Rede Globo’, é detentor das mais diversas mídias, inclusive, é proprietário da maior emissora de TV aberta no país. Um dos programas que compõem a programação televisiva do canal “Globo” é o “Globo Repórter”, o qual aborda os mais diversos temas semanalmente. Um dos assuntos mais frequentes naquele programa é a Amazônia. Esta é conhecida internacionalmente por sua importância ambiental. Diante da multiplicidade de questões que envolvem o presente objetivo consiste em verificar criticamente a maneira que aquele enunciador discursa sobre os agentes sociais que compõem aquele ambiente. Para tanto, a perspectiva de investigação empregada é a análise crítica do discurso. A população amazônica é estereotipada como ‘ribeirinha’ e é exibida em segundo plano de maneira idealizada e atrasada, ou seja, trata-se de uma visão fragmentada sobre ela.

Palavras-chave: Discurso. Mídia. Globo Repórter. Amazônia. Ribeirinhos.

Biografia do Autor

Juliana de Oliveira Vicentini
Doutoranda no Programa Interdisciplinar em Ecologia Aplicada (Universidade de São Paulo). É mestra em Ciências pelo mesmo programa e pela mesma instituição. Possui licenciatura em Geografia pelo Instituto Superior de Ciências Aplicadas. Atualmente desenvolve pesquisas em análise crítica do discurso, com ênfase no segmento midiático ambiental.
Publicado
2015-03-23