A fronteira de fricção

  • Wendell Teles de Lima Universidade do Estado do Amazonas
  • Cleuter Tenazor Tananta Universidade do Estado do Amazonas
  • Ana Maria Libório de Oliveira Instituto Federal do Paraná
  • Iatiçara Oliveira da Silva Universidade do Estado do Amazonas

Resumo

A fronteira foi concebida na teoria ratzeliana como órgão periférico do Estado apesar de sua conotação orgânica dada pelo geógrafo geopolítico alemão Ratzel demonstra a importância desse espaço na constituição do território onde estabelece na realidade um campo de forças que atuam a favor e contra aos espaços nacionais constituintes sendo, portanto, uma característica de formação em virtude de ser ponto de encontro de forças diferenciadas, no caso, do qual se refere os Estados. A proteção, controle, projeção, manutenção fazem parte desse repertório de sua formação e origem e ainda aparecem em virtudes de vários fenômenos existentes dentro desse espaço de contato. Nosso objetivo é entender essas nuanças tendo como interpretação o realismo e o entendimento de que a fronteira é um espaço de fricção sendo necessárias medidas de segurança e ações dos Estados Nacionais, para ter um exemplo concreto sobre isso será analisado ao longo do desenvolvimento dos atores territoriais.

 

Palavras- Chave: Estado; Fronteira; Campo de Forças.

Biografia do Autor

Wendell Teles de Lima, Universidade do Estado do Amazonas
Doutorando em Geografia - UFPR, Mestre em Geografia-UNIR, Especialista em Turismo e Gestão Territorial - UFAM, Bacharel em Geografia- UFAM, Graduado em Geografia -UFAM, Professor Efetivo da Universidade do Estado do Amazonas/ UEA - Centro de Estudos Superiores de Tabatinga/CSTB
Publicado
2016-10-24