AUTOCONSCIÊNCIA E AUTORREPRESENTAÇÕES DO SELF ENTRE TRABALHADORES DO MERCADO SEXUAL HOMOERÓTICO SUL-AMERICANO

  • Epitacio Nunes de Souza Neto Faculdade Integração do Sertão – FIS
  • Normando José Queiroz Viana Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará – UNIFESSPA
  • Alexsandro Medeiros do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Antonio Roazzi Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Resumo

Este estudo avalia estados de autoconsciência e autorrepresentações do self entre trabalhadores do mercado sexual homoerótico Sul-americano. Busca dessa forma, identificar como homens e mulheres que atuam em um campo de trabalho estigmatizado socialmente estabelecem processos de autoavaliação e autovaloração de si. Concebe-se trabalhador sexual, todo e qualquer sujeito que desenvolve atividades laborais em estabelecimentos comerciais vinculados ao mercado do sexo. A investigação aqui proposta se caracteriza como estudo exploratório de base etnográfica, do tipo descritivo e interpretativo, classificada como não experimental e de abordagem qualitativa. A coleta de dados se deu a partir da observação participante em estabelecimentos comerciais homoeróticos nas cidades de Recife/BR e Buenos Aires/AR; e, entrevistas semiestruturadas aplicadas em de 26 sujeitos, entres brasileiros e argentinos. A análise de dos dados está pautada nas premissas do Modelo da Dupla Hermenêutica, proposta por Giddens. Os resultados revelam uso frequente de estados de autofoco, reflexivos e ruminativos, entre os trabalhadores sexuais, com reflexos significativos sobre o autoconceito e autoestima. Por fim, se evidencia que os trabalhadores sexuais justificam suas inserções no mercado sexual a partir das necessidades financeiras, pelas quais ressignificam suas atuações laborais como dignas e honestas.

Palavras-Chave: Mercado Sexual Homoerótico; Trabalhadores Sexuais; Autoconsciência; Autoconceito; Autoestima.

 

Publicado
2020-07-30

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>