Política em desequilíbrio perpétuo: considerações sobre relações de gênero e geracionais na política e na moralidade kaiowá

  • Diógenes Egidio Cariaga UEMS

Resumo

Este artigo toma como ponto de partida para reflexões sobre o fazer político e a moralidade kaiowá questões relativas ao prestígio que homens e mulheres, seniores e jovens buscam produzir em suas vidas como estratégias de atrair outras pessoas na produção do fazer político. Para isto, abro a discussão a partir da etnologia canônica produzida sobre os Kaiowa (Guarani) para demonstrar que a ambivalência e a instabilidade da pessoa e dos coletivos não se referem a uma ausência de relações políticas, mas que são formas próprias de produção da vida social. Neste contexto, recorro as narrativas kaiowá sobre os caminhos, criações e transformações do casal demiúrgico formado por Ñande Ramõí (“Nosso Avô”) e Ñande Jarý (“Nossa Avó”) e pelos seus filhos gêmeos, Kwarahy (“Sol”) e Jasy (“Lua”) para realizar algumas considerações a respeito de como as relações de gênero e geracionais nos fazem ver outras formas de prestígio e produção do fazer político entre os Kaiowá.  

 

Palavras-chave: Políticas Ameríndias; Moralidade Ameríndia; Etnologia Guarani (Kaiowá).

Publicado
2020-07-11