Do encontro das águas, Dinahi: reflexões ancoradas no feminino

  • Adan Renê Pereira da Silva Universidade Federal do Amazonas
  • Ericky da Silva Nakanome Universidade Federal do Amazonas, Campus ICSEZ, Parintins

Resumo

As representações de mulheres sinalizam para um debate de gênero que se expande por diversos espaços, entre eles, as festas populares. O estudo apresentado parte de uma delas, o Festival Folclórico de Parintins, objetivando refletir acerca de construções de gênero ensinadas pela cultura indígena e perpetuados na oralidade popular, conforme leitura artística da festa. Esboçou-se estudo autoetnográfico, com base em um momento da apresentação do boi-bumbá Caprichoso, a da mulher-cobra Dinahi, da cultura manaó. A análise possibilitou pensar sobre o corpo híbrido, articulando-o ao conceito de gênero butleriano e de perspectivismo viveriano. Na esteira de outros trabalhos que estudam representações de gênero nos festivais folclóricos do norte brasileiro, percebe-se a potência do conceito na desnaturalização de ideias cristalizadas e em educar, por meio do alcance que tem, acerca de construções outras sobre as múltiplas formas de performar o gênero, no caso específico, mediante expressões do corpo híbrido de Dinahi. 

 

Palavras-chave: Gênero; Festival Folclórico de Parintins; Boi-bumbá Caprichoso.

Biografia do Autor

Ericky da Silva Nakanome, Universidade Federal do Amazonas, Campus ICSEZ, Parintins

Professor do Curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Amazonas, campus ICSEZ Parintins. Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia e Presidente do Conselho de Artes do Boi-Bumbá Caprichoso.

Publicado
2020-07-11