Da sociedade dos vivos à sociedade dos mortos: urnas mortuárias e dinâmicas transformativas no “Sertão do Gentio Cayapó” – séc. XVIII e XIX

  • Tayná Bonfim Mazzei Mazza Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

O presente trabalho conjuga interesses da Antropologia, da História e da Arqueologia ao discutir um relato de achado de urna mortuária no século XIX na região que hoje compreende o Triângulo Mineiro/MG. Na análise desta urna mortuária faz-se o exercício de olhar não apenas para o artefato material, mas para a vida, buscando-se, primeiramente, visualizar o cotidiano das comunidades que ocupavam a região do Triângulo Mineiro durante os períodos colonial e imperial, que puderam ter permitido a sua produção e significação; para com base na etnologia, utilizar-se de exemplos os complexos funerários bororo como modelos interpretativos da sociocosmologia jê; a fim de iluminar as dinâmicas sociais e aspectos simbólicos por detrás de seu enterramento, que apontam para produção social de pessoas nessas sociedades.

 

Palavras-chave: Cultura material; Etnologia Jê; Produção social de pessoas

Publicado
2020-07-11