Os discursos presentes na formação de professores de história e os seus efeitos na construção das identidades discentes

Resumo

Este artigo tem como objetivo evidenciar que a forma como o discurso histórico escolar, contribui para o processo de elaboração e reelaboração identitária dos estudantes. Para isso, compreende-se o conceito de representação como central nos processos de identificação, subjetivação e incorporação ativa do imaginário social. Partindo das perspectivas teóricas proporcionadas pela Teoria Social do Discurso e pela Nova História Cultural, aliada aos estudos sobre o Ensino de História, é intenção salientar o potencial performativo do discurso na formulação e aplicação de uma narrativa histórica descentrada, capaz de fornecer subsídios para uma reflexão crítica pelos discentes acerca da realidade e abrir, assim, possibilidades para atitudes transformadoras.

Biografia do Autor

Iamara da Silva Viana, Pontifícia Universidade Católica – Rio de Janeiro

Professora do Departamento de História da PUC-Rio. Pós doutora pelo PPGHC/UFRJ

Alice Mabel Prates Monteiro, Pontifícia Universidade Católica – Rio de Janeiro

Mestranda em História Social da Cultura pela PUC-Rio e Graduada em História (Licenciatura e Bacharelado) pela PUC-Rio

Publicado
2020-07-10