Efeito da L-lisina na alimentação in ovo de embriões avícolas

  • João Paulo Ferreira Rufino Universidade Federal do Amazonas
  • Frank George Guimarães Cruz
  • Ramon Duque Melo
  • Lucas Duque Melo
  • Julmar da Costa Feijó
  • Natalia dos Santos Bezerra

Resumo

O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da alimentação in ovo utilizando L-lisina sobre a eclodibilidade, relação pinto/ovo, desenvolvimento do trato gastrointestinal (do nascimento aos sete dias pós-eclosão) e desempenho dos pintos de um a sete dias. Foram utilizados 350 ovos férteis da linhagem Rhode Island Red (matrizes com 47 semanas). O delineamento experimental foi o completamente casualizado com os tratamentos constituídos por dois controles e cinco níveis crescentes de L-lisina com 50 repetições (ovos) cada. Os dados coletados foram submetidos a regressão polinomial a 5%. Houve efeito significativo (p<0,05) sobre a eclodibilidade, mortalidade embrionária intermediária, mortalidade intermediária tardia e ovos bicados, com uma gradual queda na eclodibilidade a partir do aumento dos níveis de L-lisina utilizados. Foram observadas diferenças significativas (p<0,05) sobre o peso do coração e do pâncreas de pintos com um dia; e no consumo de ração, percentual de ganho de peso e comprimento do ceco dos pintos aos sete dias. Os resultados deste estudo indicam que a alimentação in ovo utilizando L-lisina afeta diretamente a eclodibilidade dos ovos inoculados. Usando 0,5% e 1,0% de L-lisina, houve um efeito positivo no peso do pinto, do coração, do pâncreas e sobre o desempenho dos pintinhos de um a 7 dias, sem afetar negativamente a relação pintinho/ovo e o trato gastrointestinal.

Publicado
2018-11-16
Seção
Avicultura - Nutrição

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

1 2 > >>