Exigências de lisina digestível para frangos de corte de crescimento lento

Revisão de literatura

  • Ronner Joaquim Mendonça Brasil
  • Cristina Amorim Ribeiro de Lima
  • Noédson de Jesus Beltrão Machado
  • Fernando Augusto Curvello

Resumo

O objetivo desta revisão foi abordar os principais aspectos relacionados as características, metabolismo e funções da lisina para frangos de corte, proteína ideal e lisina, e resultados de pesquisas estabelecendo exigências de lisina digestível para frangos de corte de crescimento lento. Os estudos avaliados evidenciaram um constante aumento na exigência de lisina digestível para frangos de crescimento lento no decorrer dos anos. Inclusive, sendo superiores às exigências para frangos de linhagens convencionais recomendadas por tabelas utilizadas como referências na formulação de rações. A importância destas informações se dá ao fato de a lisina ser um aminoácido essencial e frequentemente o segundo aminoácido limitante nas rações a base de milho e farelo de soja, em que sua principal função fisiológica está na síntese de proteínas musculares. Por essa razão, assim como o avanço do melhoramento genético dos frangos de corte é necessário constantes estudos para atualização das exigências nutricionais destes animais, a fim de garantir uma boa produtividade. Outrora, diversas pesquisas vêm sendo realizadas de forma a promover a atualização das exigências de aminoácidos, fundamental para formulação de rações eficientes, sem limitações ou excessos de aminoácidos, ou seja, atendendo ao conceito de proteína ideal.

Publicado
2018-11-16
Seção
Revisões Originais Avicultura

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##