ENSAIO FOTOGRÁFICO RESISTÊNCIA E LUTA: A MARCHA DAS MULHERES INDÍGENAS E DAS MARGARIDAS EM BRASÍLIA

  • Eduardo Di Napoli

Resumo

Em 2019, dois importantes movimentos covergiram na luta pelos direitos das mulheres e puseram-se em Marcha, como ato de resistência e luta, em Brasília.
Entre 09 e 14 de agosto, milhares de mulhres indígenas se mantiveram acampadas, em uma concentração quebuscou alinhar as pautas já desenhadas desde 2016, quando houve no Acampamento Terra Livre a primeira plenária de mulhres indígenas, que apontava para o nascimento de um movimento mais autonomo, em que as perspectiva de gênero estivessem mais claramente presentes.
Essa mesma perspectiva sempre esteve presente na Marcha da Margaridas, um movimento de trabalhadoras rurais, realizado desde 2000, sempre no dia 12 de agosto, para relembrar a morte da trabalhadora rural e líder sindicalista Margarida Maria Alves, assassinada em 1983 quando lutava pelos direitos dos trabalhadores da Paraíba.

Publicado
2019-12-24
Seção
Ensaio Fotográfico