O Afazer e o Fazer da Filosofia – Oralidade e Escrita como Componentes do Ensino-Aprendizagem

Palavras-chave: Filosofia, Ensino, Ensaio, Foucault, Kant

Resumo

Este texto foi elaborado em uma pesquisa destinada ao desenvolvimento de um estágio pós-doutoral. Nossa preocupação consiste em problematizar as restrições legais à inserção da filosofia no Ensino Médio e explorar as possibilidades da História da Filosofia como recurso didático e pedagógico. A partir de um texto de Benedito Nunes sobre a reflexão filosófica e o ensino de filosofia, tento mostrar que podemos encontrar nas publicações de Michel Foucault uma concepção de filosofia na qual o diagnóstico da atualidade se apresenta de maneira indissociável das atividades de pensar, ler, escrever e falar.

Referências

Alves, D. J. (2002). A filosofia no ensino médio ambiguidade e contradições na LDB; Campinas/SP: Autores Associados.

Alves, D. J. (2005). Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Filosofia: o papel da licenciatura no processo de formação filosófico-pedagógica; tese de doutorado; Campinas: Unicamp.

República Federativa do Brasil. (2008). Lei no. 11.684/2008. In: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11684.htm (consulta em 24/01/2019; às 18:24).

República Federativa do Brasil. (2014). Ministério da Educação, Plano Nacional de Educação Linha de Base. In http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485745/Plano+Nacional+de+Educa%C3%A7%C3%A3o+PNE+2014-2024++Linha+de+Base/c2dd0faa-7227-40ee-a520-12c6fc77700f?version=1.1 (consulta em 24/01/2019; às 18:17).

República Federativa do Brasil. (2014). Ministério da Educação, Plano Nacional de Educação - 2014-2024. In: http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. (consulta em 24/01/2019; às 16:23).

República Federativa do Brasil. (2015). Resolução no. 2, de 1º. de julho de 2015, do Conselho Pleno do Conselho Nacional de Educação; define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. http://portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file.

República Federativa do Brasil. (2017). Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017; Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. In: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79631-rcp002-17-pdf&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192. (Consultado em 03/02/2019, às 19:27).

Brasil. Lei No. 13.415/2017. In: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm (consulta em 24/01/2019; às 18:28).

Chaves, E. (2017). Cinismo e Política ou a história da filosofia insurreta de Michel Foucault; in RAGO, Margareth e GALLO, Sílvio (Org.) Michel Foucault e as insurreições É inútil revoltar-se? São Paulo: CNPQ, CAPES, FAPESP, Intermeios. Páginas 133-142.

Foucault, M. (2000). 1984 – O Que São as Luzes? in: Michel Foucault. Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento Ditos & Escritos II; organização de Manoel Barros da Motta; tradução de Elisa Monteiro; Rio de Janeiro: Forense-Universitária.

__________________. (2001). História da Sexualidade 2 o uso dos prazeres. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque; revisão técnica de José Augusto Guilhon Albuquerque; 9ª. Edição; Rio de Janeiro: Graal.

_________________. (2010). A Hermenêutica do Sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). Tradução de Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail; 3ª. Edição; São Paulo: WMF Martins Fontes.

_________________. (2010). O Governo de Si e dos Outros: curso dado no Collège de France (1982-1983). Tradução de Eduardo Brandão; São Paulo: WMF Martins Fontes.

_________________. (2011). A Coragem da Verdade: curso dado no Collège de France (1983-1984). Tradução de Eduardo Brandão; São Paulo: WMF Martins Fontes.

Freire, Paulo. (1989). A Importância do Ato de Ler: em três artigos que se completam; São Paulo: Autores Associados: Cortez.

Kant, Immanuel. (1985). Resposta à pergunta: Que é “Esclarecimento”? (“Aufklärung”). in: Immanuel Kant Textos Seletos; edição bilingue; tradução de Raimundo Vier; Introdução de Emmanuel Carneiro Leão; 2ª. Edição; Petrópolis: Vozes.

Kant, Immanuel. (1986). Ideia de uma História Universal de um Ponto de Vista Cosmopolita. Ricardo R. Terra (org.); tradução de Rodrigo Naves e Ricardo R. Terra; edição bilingue; São Paulo: Brasiliense.

Kant, Immanuel. (1992). Anexo: notícia do Prof. Immanuel Kant sobre a organização de suas preleções para o semestre de inverno de 1765-1766. In: Lógica; tradução de Guido Antônio de Almeida; Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Muchail, Salma T. (1995). Ler, Escrever, Pensar (notas sobre o ensino de filosofia); in: Filosofia e seu Ensino (Paulo Arantes, Franklin Leopoldo e Silva, Celso Favaretto, Ricardo Fabrini, Salma T. Muchail [orgs.]); 2ª. Edição; Petrópolis, RJ: Vozes; São Paulo: Educ.

Muchail, Salma T. (2004). A trajetória de Michel Foucault; In: Foucault Simplesmente textos reunidos. São Paulo: Loyola.

Nunes, Benedito. (2000), O fazer filosófico ou oralidade e escrita em Filosofia. In: Dois ensaios e duas lembranças. Belém: SECULT/UNAMA.

Publicado
2020-02-20