PATRIMÔNIO DOCUMENTAL SOBRE ESCRAVIDÃO:

O ELEMENTO SERVIL NA PETRÓPOLIS DO OITOCENTOS

  • Lucas Ventura da Silva Universidade Católica de Petrópolis - UCP

Resumo

O presente trabalho pretende discutir questões relacionadas ao patrimônio documental sobre escravidão em Petrópolis, bem como problematizar por quais motivos há poucos estudos sobre o elemento servil em um local tão estratégico para o Império brasileiro como a “cidade de Pedro”. Nesse sentido, iniciaremos o debate colocando em questão a ideia de Cidade Imperial e de que maneira essa proposta contribuiu para o apagamento da memória negra em Petrópolis. A partir disso, norteados pelo conceito de “paradigma indiciário”, discutiremos o patrimônio documental enquanto fonte para pesquisa, focando nossa análise em duas instituições, o Arquivo da Cúria Diocesana de Petrópolis e o Museu Imperial. Vamos aqui explorar as especificidades e potencialidades das tipologias documentais na pesquisa histórica, em especial os registros eclesiásticos (livros de batismo, casamento e óbito) da freguesia de São Pedro de Alcântara e a ata da solenidade de libertação dos últimos escravizados de Petrópolis. 

Biografia do Autor

Lucas Ventura da Silva, Universidade Católica de Petrópolis - UCP

Estagiário do Museu Imperial/Ibram/Ministério do Turismo. Graduando em História pelo Centro de Teologia e Humanidades da Universidade Católica de Petrópolis. Integra os grupos de pesquisa “Fontes Eclesiásticas e História Social”, e “A cidade de Petrópolis: múltiplas formas de estudo”, vinculados à mesma universidade.

Publicado
2020-08-27