INTERDIÇÕES RÉGIAS, INCULTOS E A ALIMENTAÇÃO CAMPONESA EM PORTUGAL NO REINADO DE D. JOÃO I (1383 – 1433)

  • Matheus Bastos Tarjano Santos PPGH-UFF/ Translatio Studii

Resumo

Esse trabalho busca compreender, no contexto português baixo medieval, compreendendo o período de ascensão da Dinastia de Avis com D. João I como marco inicial da análise, de que forma as ações régias contribuíram diretamente para a alteração e cerceamento de práticas camponesas baseadas nos direitos consuetudinários e, em decorrência, como a prática estatal afetou diretamente a reprodução dos núcleos familiares e até mesmo das vilas camponesas durante esse período. Estando a alimentação camponesa diretamente associada ao uso das regiões supracitadas – os chamados cinturões dos incultos, ou áreas e terras comunais – é necessário dimensionar de que forma a sociedade medieval como um todo – e os camponeses, mais especificamente – acessava os meios de sua própria subsistência, ou seja, qual era o peso da agricultura, da caça, da coleta, e da pesca para essa população.

Publicado
2020-08-28