PRODUÇÃO DE HAICAIS PELOS IMIGRANTES JAPONESES NO AMAZONAS: A DIALÉTICA COM A NATUREZA AMAZÔNICA

Palavras-chave: Haicai. Imigração japonesa no Amazonas. Natureza.

Resumo

Um dos critérios para se elaborar o poema haicai é a presença do kigo, que significa literalmente “termo da estação do ano”, podendo perceber, nesse sentido, a valorização da natureza por meio desta poética precisa, constituída de versos de 17 sílabas, na ordem de 5-7-5 sílabas. Assim, o presente estudo faz reflexões acerca dos poemas haicai produzidos pelos imigrantes japoneses no Amazonas, pontuando a relação do homem com o meio, no sentido de fazer brotar, de modo singelo e breve, a valorização da fauna e flora da região amazônica. A esse caráter criativo, reflexivo e imaginativo relativo à poesia, Alfredo Bosi (2015, p. 9) assevera como sendo “o abrigo da memória, os tons e as modulações do afeto, o jogo da imaginação e o estímulo para refletir, às vezes agir”. É uma investigação de caráter bibliográfico e, nesse sentido, repousa sobre as leituras dos textos pertinentes, fichamento das obras teóricas e do corpus. Adota-se como procedimento para a pesquisa do corpus, inicialmente, as traduções dos poemas para o português das obras escritas em língua japonesa, seguido posteriormente de interpretação e análise, enfatizando os conteúdos relativos ao ecossistema, neles entrelaçados. A importância dessa investigação está calcada na peculiaridade com que são produzidos os poemas haicai no Amazonas pelos imigrantes japoneses, empregando, por meio do kigo, os elementos da natureza amazônica. Outrossim, verificou-se que existe um grêmio para produção de poemas haicai em língua japonesa pelo grupo de imigrantes vinculados à Associação Nipo-Brasileira da Amazônia Ocidental, cuja reunião acontece mensalmente. É uma investigação preliminar que destaca a harmonia do homem com a natureza amazônica.

Biografia do Autor

Linda Midori Tsuji Nishikido, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Professora de Língua e Literatura Japonesa da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Possui mestrado em Letras (Língua Literatura e Cultura Japonesa) pela Universidade de São Paulo (2017). Graduação em Letras - Língua e Literatura Japonesa pela Universidade Federal do Amazonas (2017), em Ciências econômicas pela Universidade Federal do Amazonas (1982), em ciências contábeis pela Universidade Federal do Amazonas (1996) e em Licenciatura em Língua e Literatura Portuguesa pela Universidade Federal do Amazonas (2012). Atua principalmente nos seguintes temas: imigração japonesa no Amazonas e relatos orais.

Referências

ALIANÇA CULTURAL BRASIL-JAPÃO; OHNO, Massao. O livro dos hai-kais. Tradução: Olga Savary. 2ª. edição. São Paulo: Aliança Cultural Brasil-Japão/ Massao Ohno editores, 1987.
ASSOCIAÇÃO NIPO BRASILEIRA DA AMAZÔNIA OCIDENTAL; MANAUS KUKAI. Coletânea de haiku Manaus 2016. Volume 32, 2017.
BEÇA, Aníbal. Folhas da Selva. Manaus: Editora Valer, 2006.
BOSI, Alfredo. Entre a literatura e a história. São Paulo: Editora 34, 2015.
ISHIKAWA, Noêmia Kazue. Embaúba: uma árvore e muitas vidas. São Paulo: Escrituras Editora, 2016.

GOGA, Masuda. O haicai no Brasil. Tradução: José Yamashiro. São Paulo: editora oriento, 1988.

PEREIRA, Fausto Pinheiro; YOSHIKAWA, Mayumi Edna Iko. A escrita japonesa. In MUKAI, Yûki; SUZUKI, Tae (orgs.). Gramática da Língua Japonesa para Falantes do Português. Coleção Japão em foco. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016.

SUZUKI, Tae. A escrita japonesa. In Revista do Centro de Estudos Japoneses da USP. São Paulo: 1985, volume 5, p. 53-61.

TSUJITA, Masakazu. Kimigayo to tomoni. In ONODA, Ichirō et al. (orgs.). Hatô no Yonsenri: dai ikkai Amazon kaitakudan. Edição memorial manuscrito. Santosu Maru, 10 fev.1953, p. 22.
WAKISAKA, Geny. Man’ yôshû: vereda do poema clássico japonês. São Paulo: Editora Hucitec, 1992.
YAMAGUCHI, Toshiko. Haiku Amazônia. Tokyo: Naganae Printing, 1992.
YAMAMOTO, Eliane Toshie Korogui. Aspectos do Romantismo no Japão: um estudo sobre o autor Shimazaki Tôson e sua obra Waka
Publicado
2019-10-23