TECNOLOGIA DOS ALIMENTOS

  • Alessandra Silva e Silva Instituto Federal do Amazonas/IFAM Campus Coari– Amazonas/Brasil
  • Amanda dos Santos Lima Instituto Federal do Amazonas/IFAM Campus Coari– Amazonas/Brasil
  • Salomé Vasconcelos Pereira Instituto Federal do Amazonas/IFAM Campus Coari– Amazonas/Brasil
  • José Renan de Souza Belém Instituto Federal do Amazonas/IFAM Campus Coari– Amazonas/Brasil
Palavras-chave: Nutrição, Industria, Consumo

Resumo

Introdução: Tende-se a observar a homogeneização e a industrialização da alimentação no atual cenário da sociedade, colocando-a em oposição à alimentação diversificada e natural das sociedades pré-industriais. A rápida evolução atual do setor alimentar decorre, em grande parte, de certos hábitos e tecnologias alimentares dos períodos precedentes. Basicamente, as tecnologias de conservação agem para contenção ou eliminação de microrganismos deterioradores dos alimentos. Objetivo: Nesse contexto, objetivou-se caracterizar a evolução da nutrição e tecnologia dos alimentos destinados ao consumo humano. Método: Para isso, o trabalho foi desenvolvido através de uma pesquisa exploratória e bibliográfica. Além de uma abordagem qualitativa, através de diversos artigos que abordam o tema proposto a fim de torná-lo, mais explícitos. A pesquisa foi através de pesquisas em base de dados como Scielo, Periódicos Capes e Google acadêmico. Resultado: Dessa forma, a evolução dos alimentos desde os primeiros impactos até os tempos modernos, a transformação da alimentação humana, dependeu bastante de a população adotar novos hábitos alimentares e padrões nutricionais resultantes de modificações na estrutura da dieta. Em que há seleções de utilização e consumo de alimentos disponibilizados com o avanço da tecnologia dos alimentos. As indústrias alimentícias baseiam- se na correria do dia a dia dessas pessoas, na tentativa de facilitar a vida do ser-humano com alimentos industrializados modernos, colocando também em oposições de alimentações diversas e naturais da sociedade. Conclusão:  Logo, as pessoas começaram a consumir mais alimentos artificiais e menos alimentos saudáveis. Com avanços da ciência os alimentos foram incorporados aos princípios científicos, chegando assim a tecnologia dos alimentos.

Referências

BARUFALDI, R.; OLIVEIRA, M. N. Fundamentos de tecnologia de alimentos. São Paulo: Atheneu, 1998.

BURBACH, R.; FLYNN, P. (1980). Agribusiness in the Américas. Monthly Review Press.

BLEIL, S. I. O Padrão Alimentar Ocidental: Considerações Sobre a Mudança de Hábitos no Brasil. Cadernos de Debate; 1998. 6:1-25.

GARCIA, R. W. D. Reflexos da globalização na cultura alimentar: considerações sobre as mudanças na alimentação urbana. Revista de Nutrição, Campinas, out./dez., 2003.

GAVA, A. J. Princípios de tecnologia de alimentos. São Paulo: Nobel, 1984.

MEZOMO, I. F. B. Os serviços de alimentação: planejamento e administração. Barueri (SP): Manole; 2002. MEZOMO, I. F. B. Os serviços de alimentação: planejamento e administração. Barueri (SP): Manole; 2002.

MONDINI, L; MONTEIRO C. A. Mudanças no padrão de alimentação da população urbana brasileira. Rev. Saúde Pública, 28(6):433-9, 1994.

MONTEIRO, C. A.; MONDINI, L.; COSTA R. B. L. Mudanças na composição e adequação nutricional da dieta alimentar nas áreas metropolitanas do Brasil (1988-1996). Revista de Saúde Pública, v. 34, n. 3, p.251-58, 2000.

PINHEIRO, K. História da Alimentação. Universitas Ciências da saúde; 2001. 3:173-190.

SOUZA, M. D. C. A.; HARDT, P. P. Evolução dos hábitos alimentares no Brasil. Brasil alimentos, agosto, 2002.

Publicado
2020-10-26
Como Citar
SILVA E SILVA, A.; DOS SANTOS LIMA, A.; VASCONCELOS PEREIRA, S.; RENAN DE SOUZA BELÉM, J. TECNOLOGIA DOS ALIMENTOS. Revista Ensino, Saúde e Biotecnologia da Amazônia, v. 2, n. esp., p. 123-126, 26 out. 2020.