MARUJADA DE SÃO BENEDITO DE FREGUESIA DO ANDIRÁ: UM PATRIMÔNIO CULTURAL A SER (RE)CONHECIDO

  • Manoel Marcos de Moura Clementino

Resumo

Este artigo científico é um estudo sobre a Festa dos Marujos de São Benedito na Freguesia do Andirá, município de Barreirinha (AM). Uma manifestação da cultura popular afro-amazônica que há mais de 100 anos expressa nossa identidade. Um autêntico e valioso Patrimônio Cultural Imaterial que precisa ser salvaguardado, conhecido e reconhecido. Para compreender o problema identificado e construir ideias e caminhos de conhecimento que possam levar às mudanças desejadas, este estudo percorreu 4 caminhos: A história, a cultura, a educação e a superação. As principais referências norteadoras dessa jornada foram: CERQUA (2009), FURNES (1995), GALVÃO (1953), BELTRÃO JÚNIOR (2015) e TRINDADE (2010). Realizou-se uma pesquisa qualitativa a partir de observação participante (etnografia) e entrevistas semiestruturadas, realizadas com participantes da festa nos anos de 2018 e 2020, sendo os depoimentos deste ano feitos à distância (telefonemas e mensagens), devido às medidas de distanciamento de prevenção ao COVID-19. Os áudios obtidos por meio de gravação foram transcritos, com a permissão dos participantes, além de uma revisão bibliográfica e análise documental. Em suma, este trabalho relatou os resultados da análise das quatro vias de investigação da Festa dos Marujos de São Benedito de Freguesia do Andirá.

PALAVRAS-CHAVE. Marujada de São Benedito. Patrimônio Cultural. Festa Amazônica. Cultura; Educação.

Biografia do Autor

Manoel Marcos de Moura Clementino

Bacharel em Ciência Política e Especialista em Gestão e Produção Cultural pela Universidade do Estado do Amazonas – UEA.

Publicado
2021-07-01