Aprendizagem, comunicação e tradução intersemiótica: um estudo sobre "As trigêmeas"

Resumo

Este artigo apresenta estudo teórico resultante de pesquisas bibliográficas desenvolvidas durante o Pibic 2017/2018 em Comunicação e posteriores estudos na área de Educação durante a pós-graduação. Propõe-se a tradução intersemiótica (Plaza, 2003) como estratégia de comunicação (Sodré, 2011) não só em sentido midiático, mas também em ambientes de aprendizagem. O corpus é o episódio “As Trigêmeas e A Volta ao Mundo em 80 Dias”, do desenho animado infantil As Trigêmeas (1995). Assim, foi criada a seguinte categorização das traduções intersemióticas no episódio em questão: traduções espaço-temporais; traduções de personagens e tecnologias; e, por fim, traduções de outras obras. Em seguida, os elementos narrativos observados foram articulados aos seguintes conceitos: tipos de tradução intersemiótica (Plaza, 2003); curiosidade epistemológica e consciência do inacabamento (Freire, 2017); aprendizagem significativa (Moreira, 1997); e consolidação da memória declarativa (Cosenza e Guerra, 2011). Conclui-se que a tradução intersemiótica tende a ser uma estratégia eficaz quanto à construção de conhecimentos e manutenção da memória ao longo da vida, contribuindo não só para o desenvolvimento cognitivo individual, mas também para a continuidade de obras através dos tempos.

Palavras-chave: Tradução Intersemiótica; Comunicação; Aprendizagem.

Biografia do Autor

Maria Cecília Costa Braga da Silva, UFAM/PUCRS

Graduada em Comunicação Social - Jornalismo na Universidade Federal do Amazonas (2018). Possui experiência como voluntária em programas de educação para jovens com foco no empreendedorismo social; produção de conteúdo para web; edição de texto e línguas estrangeiras. Em 2016, foi uma das selecionadas mundialmente para o estágio cultural AMICIF, em Paris, França, participando do Centre International Francophone Patrimoine (CIFP), sobre patrimônio histórico-cultural. Trabalhou voluntariamente no Nexa Amazonas, projeto da ONG Junior Achievement, entre os anos de 2015 e 2018, exercendo as funções de gerente de projetos, comunicação e gerente-geral. Foi bolsista do Programa de Educação Tutorial - Comunicação Social (PETCom) da Universidade Federal do Amazonas entre 2016 e 2018. Foi leitora-colaboradora da extinta revista Mundo Estranho. Desenvolve pesquisa científica com foco em comunicação, literatura e semiótica. Atualmente, é repórter da agência de notícias Amazônia Real. É fundadora do projeto educomunicacional Vírgulas Cardeais, iniciativa membro da Sustainable Development Solutions Network Youth (SDSN Youth), das Nações Unidas. Vencedora do Prêmio Narciso Júlio Freire Lobo (FIC-UFAM).

Ítala Clay de Oliveira Freitas, Universidade Federal do Amazonas

Doutora em Comunicação e Semiótica: Signo e Significação nas Mídias, e Mestre em Comunicação e Semiótica: Artes. Titulações obtidas na Pontifícia Universidade Católica de São - PUC-SP. Graduada em Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM, instituição na qual é docente da Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (Graduação - Jornalismo), e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação - PPGCCOM, na linha de pesquisa Linguagens, Representações e Estéticas Comunicacionais, na área de concentração em Ecossistemas Comunicacionais. Atualmente realiza pesquisas referentes às narrativas contemporâneas e à cultura transmídia, visando o desenvolvimento de estratégias didáticas para a educação no ensino superior. Áreas de interesse de investigação científica: Comunicação, Cultura, Arte e Educação.

Publicado
2021-01-13
Como Citar
Costa Braga da Silva, M. C., & Clay de Oliveira Freitas, Ítala. (2021). Aprendizagem, comunicação e tradução intersemiótica: um estudo sobre "As trigêmeas". Revista Amazônida: Revista Do Programa De Pós-Graduação Em Educação Da Universidade Federal Do Amazonas, 5(1), 01-13. https://doi.org/10.29280/rappge.v5i1.7941