A CRIANÇA COMO AGENTE DE MUDANÇA PARA A PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE EM TARUMÃ-AÇU – MANAUS (AMAZONAS)

  • Sandra Rejane Viana de Almeida

Resumo

Neste artigo buscamos realizar uma análise provinda da observação das vivências de crianças residentes em bairros no município de Manaus em relação aos recursos hídricos presentes dos quais são vizinhos, pois alguns  destes são vistos como símbolos relacionados a um saudosismo do que foram no passado e como hoje se encontram, revelado por um crescente processo de degradação, e como isso demonstra como este vilipêndio ao meio ambiente pode acontecer em decorrência da ação humana. Diante destas nuances descritas, convém observar a percepção de crianças que convivem neste lugar e que vivenciam estes acontecimentos, acolhendo as estas experiências desta temática à aquisição de novas concepções construídas a partir de socializações realizadas na escola, ao trocarem experiências com os sujeitos envolvidos, e interagindo, ao participarem nas atividades extraescolares, traçando sua relação com o meio ambiente no cotidiano e suas perspectivas acerca do futuro. Neste sentido objetiva-se realizar uma descrição de como a Educação Ambiental pode contribuir para a construção da consciência ecológica cidadã, o que irá transformar a criança em um agente de mudança, contrariando a postura que hoje se apresenta, na qual se percebe uma configuração de homem predador, e que após serem sensibilizados pelas questões ambientais, vem a assumir posturas mediadas pela sustentabilidade.

 

Palavras-chave: Educação Ambiental; Criança; Água; Sustentabilidade.

Biografia do Autor

Sandra Rejane Viana de Almeida

Mestra em Sociedade e Cultura na Amazônia – UFAM, graduada em Filosofia - UFAM e Pedagogia – IBRA Educacional, docente na Rede Pública Municipal de Manaus, atuando na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental na Escola Francisca Lima da Rocha - Parque Riachuelo.

Publicado
2021-07-01