INTERVENÇÕES DO PSICÓLOGO EM UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAIS COM BEBÊS PRÉ-TERMOS E SEUS FAMILIARES

  • Andréa Leão Leonardo-Pereira de Freitas Universidade Federal do Amazonas (UFAM)
  • Denise Machado Duran Gutierrez Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de mestrado, realizada em uma maternidade pública de Manaus, com o objetivo de investigar as possibilidades de intervenção do psicólogo em UTIs neonatais com bebês pré-termos e seus familiares. A abordagem teórica da pesquisa foi a psicanalítica e o método utilizado foi o qualitativo/compreensivista. Foram observadas e entrevistadas seis mães, quatro familiares e dois psicólogos. Os dados obtidos por meio de entrevistas semi-estruturadas foram submetidos à análise de conteúdo, a partir da qual foram levantadas as seguintes categorias temáticas: 1) Importância da atuação do psicólogo para as mães; 2) Importância da atuação do psicólogo para os familiares e 3) Importância da atuação do psicólogo segundo os próprios profissionais. As técnicas de acolhimento psicológico e orientação apareceram como intervenções relevantes para os três grupos entrevistados. Foi percebido que, apesar de ser reconhecida a importância da presença do psicólogo no ambiente intensivista, ela não ocorreu de modo sistematizado. Outras possibilidades de intervenção foram sugeridas, a fim de incluir os pais, avós e irmãos e a própria equipe de Saúde.

Palavras-chave: prematuridade; unidade de terapia intensiva neonatal; psicólogo.

Biografia do Autor

Denise Machado Duran Gutierrez, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Professora Doutora, Universidade Federal do Amazonas

Publicado
2021-07-01