VOZES DE ERIKO

UMA ANÁLISE QUEER SOBRE KITCHEN

  • Wanderson Tobias Rodrigues Universidade de Brasília (UnB)
Palavras-chave: Kitchen, Yoshimoto Banana, Teoria queer, Transexualidade

Resumo

O presente artigo tem como interesse analisar, diante das teorias queer, as leituras possíveis em cima da personagem Eriko, da novela Kitchen, escrito por Yoshimoto Banana e publicado no mercado nacional em 1995. Em diálogo direto com a pesquisadora britânico-australiana Sara Ahmed, a pesquisa trará debates sobre os aspectos da violência contra transexuais na literatura, assim como a comunidade queer em geral, a negligência sobre os lutos enfrentados pela comunidade, a composição de família e o combate contra as tradições heterocisnormativas perpetuadas nos estilos de vida japonês e global. Como veículo, por meio de Eriko, propomos fazer uma leitura de encontro das vozes entre a personagem fictícia com as Erikos do mundo real e como encontrar esperanças nessas jornadas.

Biografia do Autor

Wanderson Tobias Rodrigues, Universidade de Brasília (UnB)

Mestrando na área de Literatura pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (UnB). Trabalha com Literatura japonesa contemporânea e com o corpo na literatura japonesa. Graduado em Letras Japonês pela mesma Universidade, período no qual desenvolveu um estudo relacionando o absurdismo filosófico de Albert Camus com a produção literária de Dazai Osamu.

 

 

Referências

AHMED, Sara. The Cultural Politics of Emotion. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2014

_____________. The Promise of Happiness. London: Duke University Press, 2010

CAMUS, Albert. O Mito de Sísifo. 9. ed. Rio de Janeiro: BestBolso, 2017.

FAITH, Laura S. Rewriting japanese women: survivors, escapees, and defeatists in the fiction of banana yoshimoto. 2008. Dissertação de Mestrado em Artes em Humanidades - California State University Dominguez Hills. California.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós modernidade. 11 ed. Rio de Janeiro: DP & A, 2006.

hooks, bell. Love as the practice of freedom. In: Outlaw Culture. Resisting Representations. New York: Routledge, 2006, p. 289–298

ISOTANI, Mina. A Representação do Feminino: a construção identitária da mulher japonesa moderna. São Paulo, 2015, 219p. Tese (Doutorado). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

Keene, D. (1). Japanese life in the Edo period as reflected in literature. Estudos Japoneses, (16), 11-26.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 3. ed. rev. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

TEIXEIRA, Flavia do Bonsucesso. Histórias que não têm era uma vez:1 as (in)certezas da transexualidade. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 20, n. 2, 2012, p. 501-512

Publicado
2020-08-22