SITUAÇÕES DE DESASTRES, ENCHENTE DOS RIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL: REFLEXÕES SOBRE A REALIDADE DE UM MUNICÍPIO AMAZÔNICO

  • Kássia Karise Carvalho Carneiro
  • Patrício Azevedo Ribeiro

Resumo

Este artigo propõe refletir sobre as situações de desastres e o atendimento realizado pela Política de Assistência Social (PAS) às famílias afetadas. Particulariza o debate na realidade do município de Barreirinha, Estado do Amazonas, o qual convive anualmente com a enchente e a cheia dos rios, sendo a área urbana impactada sobremaneira em função de que, uma grande parte territorial está localizada em área de várzea, desse modo, presencia-se danos sociais, econômicos e ambientais que a enchente e a cheia provocam no cotidiano das famílias e no contexto local da cidade. Neste trabalho, compreende-se a enchente dos rios, em Barreirinha, como uma forma de desastre socioambiental e, dependendo do nível em que ocorre, pode agravar as situações de vulnerabilidade social das famílias. O conteúdo pauta-se em revisão bibliográfica, pesquisa exploratória e documental. Os resultados deslindam que a PAS tem intervido nos casos de desastres na medida em que estes se enquadram em uma situação de emergência ou calamidade pública, cujos atendimentos como escutas, acompanhamentos, estudos socioeconômicos, doação de cestas básicas e madeiras, entre outros são fundamentais às famílias, no entanto, as ações continuam sendo pontuais o que justifica a indiferença do Estado capitalista em responder às particularidades de Barreirinha e de outros municípios amazônicos, no período de enchente dos rios.

 

Palavras-chave: Desastre; Enchente; Assistência Social; Amazonas; Barreirinha.

 

Publicado
2020-07-22