ENTREVISTA FENOMENOLÓGICO-COGNITIVA DOS ESTADOS AUTOCONSCIENTES (EFEA) DE NASCIMENTO (2008): ASPECTOS DE SUA ESTRUTURA E IMPLICAÇÕES METODOLÓGICAS DE UM INSTRUMENTO DE CARÁTER FENOMENAL

  • Alexsandro Medeiros do Nascimento
  • Rafael Amorim de Paula
  • Antonio Roazzi

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar as críticas ao método introspectivo em Psicologia e refletindo sobre a pertinência e necessidade deste método no tocante a intricada questão do Self. Para isso, é apresentada a Entrevista Fenomenológico-Cognitiva dos Estados Autoconscientes (EFEA), instrumento este em primeira pessoa e que será detalhado em sua estrutura. A EFEA é um roteiro padronizado a fim de investigar e descrever o conjunto de fenômenos inerentes a autoconsciência e as mediações cognitivas (imagens mentais e fala interna), na interação com diferentes parâmetros da consciência de Vigília e Estados Incomuns. São três as principais críticas em relação ao método introspectivo, a saber, (a) diante da relação entre pensamento e comportamento, a apreensão de qualquer fato se daria numa abordagem retrospectiva, a posteriori; (b) o pensamento é ocorrência interior e que pode ser somente acessada por quem a vive, ou seja, o agente da introspecção é o sujeito; (c) mesmo que a introspecção seja possível, enquanto método sua fragilidade residiria na precisão dos relatos a respeito dos processos vividos. A EFEA, diante das críticas históricas em relação a introspecção, respondeu revelando ser capaz de promover acesso a vida interna, tendo robustez metodológica e apreensão fenomenal do objeto em tela. Diante disso a EFEA legitima os métodos em primeira pessoa de modo a estimular os esforços na investigação contemporânea sobre os processos conscientes e autoconscientes.

Palavras-chave: Introspecção; EFEA; Autoconsciência; Consciência; Self.

Publicado
2020-07-08