A CIÊNCIA PARA A RESOLUÇÃO DE CRIMES: O PAPEL DA BOTÂNICA FORENSE NO ÂMBITO CRIMINAL

  • Alcilene Bezerra Instituto de Pós-Graduação (IPOG)
  • Felipe Sant’ Anna Cavalcante Universidade Federal do Amazonas (UFAM)
  • Renato Abreu Lima Universidade Federal do Amazonas

Resumo

O biólogo forense é o cientista que lida com vestígios de plantas, aplicando diversas técnicas de análise às provas recolhidas no local do crime, incluindo pólen, fragmentos e resíduos de plantas, compostos químicos e DNA das plantas. Foi realizado um levantamento bibliográfico no qual foram priorizados livros como: Introdução à Biologia Forense, Botânica e Palinologia Forense, bases eletrônicas de dados como: SciELO, LILACS, Pubmed e Mendeley, Artigos e Estudo de Caso, no entanto só foram considerados apenas os artigos publicados no idioma português. Este é um estudo de caráter teórico, exploratório e descritivo. Os principais termos buscados foram relativos à “botânica forense”, “local de crime”, “espécies vegetais” e “criminalísticas”. O conteúdo pesquisado e apresentado provém de um levantamento bibliográfico realizado nos meses de novembro de 2018 a março de 2019. Cita-se a Botânica Forense como a aplicação do estudo das plantas e de suas estruturas na resolução de crimes ou outras questões legais. Esses indícios podem fornecer pistas sobre o paradeiro da vítima ou de um suspeito, bem como informar sobre a presença de material entorpecente no local do caso, onde há uma grande variedade de materiais botânicos que podem ser úteis na elucidação de crimes, como folhas, flores, pólen, algas e madeira.

Palavras-chave: Botânica forense; Local de Crime; Criminalísticas.

Publicado
2020-07-08