UM OLHAR SOBRE A TRAJETÓRIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

  • Nelcilene da S. Palhano Cavalcante Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Resumo

              O texto discute a inserção da Educação Ambiental (EA) no debate da crise ambiental, a partir da década de 1970 expondo sua trajetória a partir de documentos oriundos dos principais encontros internacionais que ocorreram nesse período. O objetivo foi analisar que apesar dos avanços que esses referenciais representam há contradições entre o que está expresso e a sua efetividade pois, as mudanças pretendidas com a EA se inserem dentro do modelo capitalista que entendemos está no cerne da crise ambiental na atualidade. Discutimos sem pretender esgotar as análises e interpretações que ainda podem ser feitas: o documento resultante da Conferência de Tbilisi, a Agenda 21, o Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis e Responsabilidade Global, Declaração de Thessaloníki, Declaração de Jomtien e Carta da Terra. Na última parte do texto apresentamos uma breve análise da Agenda 2030, no que se refere ao objetivo que vincula a educação ao Desenvolvimento Sustentável. Seguindo a mesma perspectiva dos demais documentos citados, essa agenda considera a possibilidade de uma nova relação sociedade e natureza tendo como pressuposto o crescimento econômico sustentado o que, compreendemos ser irreconciliável sem uma mudança estrutural dos processos históricos de exploração do modo de produção capitalista.

 

Palavras-chave: Educação Ambiental. Crise ambiental. Desenvolvimento sustentável.

 

Publicado
2020-07-08