A ESTRUTURA DA AUTOCONSCIÊNCIA E HABILIDADES DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MENTAIS: ESTUDO DE VALIDAÇÃO

  • Alexsandro Medeiros do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Antonio Roazzi Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Resumo

O estudo ex-post-facto objetivou descrever as relações entre as autoconsciências situacional e disposicional, a pertinência da dicotomia ruminação-reflexão na dimensionalidade da autoconsciência, e as relações do autofoco disposicional com as habilidades de visualização de imagens mentais, apoiadas na hipótese mais ampla de mediação cognitiva de autofoco por imagens mentais. O teste empírico das hipóteses foi conduzido numa amostra de 958 universitários, os quais responderam os instrumentos psicométricos: Escala de Autoconsciência Disposicional, Escala de Autoconsciência Situacional e Teste de Habilidades de Visualização de Imagens Mentais, com suas duas séries independentes – Self e Não-Self. Os dados foram analisados através de Análise Fatorial, Análise de Estrutura de Similaridade, coeficiente de correlação de Pearson e série de regressões passo-a-passo e passos-fixos. Os resultados suportaram (a) a hipótese de mediação cognitiva de autofoco por imagens mentais, tanto na modalidade estado, quanto traço, (b) evidências favoráveis ao enlace orgânico entre autoconsciência estado e traço, (c) a dicotomia ruminação-reflexão na dimensionalidade da autoconsciência, (d) as boas qualidades psicométricas dos instrumentos da pesquisa, em especial da Escala de Autoconsciência Disposicional, alicerçada em nova dicotomia que alicerça a autoconsciência-traço descoberta nesta pesquisa – a Conscientização-Atentividade.

Palavras-chave: autoconsciência situacional e disposicional; ruminação-reflexão; habilidades de visualização de imagens mentais; avaliação psicométrica; teoria das facetas.

Publicado
2021-07-01