PERCEÇÕES DE AUTODETERMINAÇÃO: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO EM ADULTOS COM DIFICULDADE INTELECTUAL E DESENVOLVIMENTAL (DID)

  • Sara Moniz
  • Lúcia C. Miranda Lúcia C. Miranda

Resumo

Nos últimos anos a investigação tem demonstrado que as pessoas com dificuldades intelectuais e desenvolvimentais (DID) devem ter a possibilidade de participar e trabalhar nas suas comunidades, de tomar decisões e fazer as suas próprias escolhas. Este estudo exploratório pretende descrever e analisar as perceções sobre autodeterminação de um grupo de oito participantes-adultos com DID, que frequentavam à data um Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) da Região Autónoma da Madeira, comparando as perceções dos participantes do género masculino com as dos do género feminino. Para o efeito usou-se a Escala ARC-INICO (Verdugo et al., 2014), para avaliar a autodeterminação. Os resultados sugerem que os participantes do género masculino apresentam perceções de autodeterminação superiores às dos participantes com DID do género feminino. Espera-se que este estudo possa contribuir para uma reflexão sobre a necessidade de se avaliar e promoverem as competências de autodeterminação junto destas pessoas com DID.

Palavras-chave: autodeterminação, perceções, dificuldade intelectual e desenvolvimental

 

Biografia do Autor

Sara Moniz

Licenciada em Psicologia e Mestre em Psicologia da Educação pela Universidade da Madeira, Portugal

Lúcia C. Miranda Lúcia C. Miranda

É psicóloga e mestre em Psicologia da Educação pela Universidade de Coimbra, doutorada e pós- doutorada pela Universidade do Minho na área de especialização Psicologia da Educação. A sua investigação está maioritariamente centrada nas necessidades educativas especiais e na motivação para aprender.

Publicado
2021-07-01