REPRESENTAÇÃO MENTAL, ROTAÇÃO MENTAL E EXPERIÊNCIA INTERNA EM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL

  • Rodrigo Oliveira Damasceno
  • Alexsandro Medeiros do Nascimento
  • Antonio Roazzi

Resumo

O presente estudo teve como objetivo discutir a importância de se compreender como pessoas com deficiência visual experienciam campos fenomenais complexos em tarefas de rotação mental. As representações mentais é um campo de estudo dentro da Psicologia Cognitiva compreendidas como projeções internas de conceitos e objetos percebidos externamente, sendo a Rotação mental um dos aspectos importantes para compreensão das imagens mentais, entendido como capacidade de mover imagens mentais para facilitar sua identificação. Já a Experiência Interna é compreendida como a apreensão de conteúdos como pensamentos, sentimentos e percepções, imediatamente a iluminação da consciência em determinados momentos, tida como se o sujeito olhasse para dentro de si. A partir desses modelos teóricos e dos estudos apresentados, foi possível perceber que não só videntes conseguem construir e manipular imagens mentais, pessoas com deficiência visual são tão capazes quanto os videntes de tal processo cognitivo utilizando o tato como fonte sensorial. Assim como pessoas com deficiência visual são capazes de experienciar campos fenomenais complexos ao evocarem imagens mentais durante a atividade de rotação mental. Porém, não há muitos estudos que abarquem essa parcela da população, assim como os estudos são escassos no que concerne a compreensão da experiência interna em pessoas com deficiência visual, essa lacuna aponta para uma necessidade de se fomentar mais estudos no intuito de esclarecer a natureza das imagens evocadas ao utilizar o tato como fonte sensorial.  

Palavras-chave: Representação mental; Rotação Mental; Experiência interna; Epistemologia Fenomenal; Deficiência visual.

Publicado
2020-07-01