MEDIAÇÃO COGNITIVA NA TEORIA DO CÓDIGO DUAL E NO MODELO NEUROCOGNITIVO E SOCIOECOLÓGICO DE AUTOCONSCIÊNCIA: O CASO DO BURNOUT

  • Alexsandro Medeiros do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Antonio Roazzi Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Fabiana de Souza e Silva Dantas Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Lucas Nonato Souza e Silva Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Suely A. do N. Mascarenhas Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Resumo

Este artigo trata sobre a mediação cognitiva nos modelos de Paivio com a Teoria do Código Dual, e Morin, com o seu modelo Neurocognitivo e Socioecológico de Autoconsciência, e relações entre os tipos de mediação cognitiva, self e autoconsciência, no trato do fenômeno do Burnout. Este é um estudo teórico que busca articular a Síndrome de Burnout com construtos cognitivos buscando apontar as possíveis interligações encontradas quando esses campos são postos para dialogar. Assim, articula-se as implicações que estar em condição de Burnout, o qual apresenta três dimensões características, a saber, a exaustão emocional, a despersonalização e a ineficácia no trabalho, tem sobre os processos da autoconsciência e da estruturação de um Self, visto que esses processos advém de uma rede de outros processos cognitivos que mediam e dão condições para que o sujeito realize essas atividades mentais. Ao se fazer esse tipo de questionamento abre-se espaço para uma discussão nova que envolve a expansão e o aprimoramento de ambos os modelos teóricos.

Palavras-chave: Mediação Cognitiva; Representação Mental; Código Dual; Modelo Neurocognitivo e Socioecológico de Autoconsciência; Burnout.

 

Publicado
2020-07-01