ISLAMISMO E TERRORISMO: O CAMPO SEMÂNTICO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS EM UNIVERSITÁRIOS BRASILEIROS E TURCOS

  • Antonio Roazzi Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Ariane Siqueira Barboza Souza Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Alexsandro Medeiros do Nascimento Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Bruno Campello de Souza Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Rodrigo Édipo do Nascimento Silva Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Resumo

A presente pesquisa investigou, entre 134 universitários (65 turcos e 69 brasileiros), a organização estrutural da representação social dos conceitos “Islamismo” e “Terrorismo” e como a nacionalidade está associada a essa organização estrutural. Como meio de acesso ao campo semântico das representações, utilizou-se a técnica da associação livre, coadjuvada por análise temática. Ao que se refere ao Brasil, obteve-se um total de 21 categorias temáticas de análise em relação ao islamismo e 19 categorias em relação ao terrorismo. Na Turquia, 19 categorias foram originadas em relação ao Islamismo e 20 categorias em relação ao terrorismo. Tais categorias foram compostas a partir das expressões semânticas agrupadas de acordo com a similaridade de significados. O SSA (Similarity Structure Analysis) foi aplicado com o intuito de avaliar o grau de intercorrelações entre as categorias na composição da estrutura dos conceitos. Foi demonstrado na análise dos significados de “Islamismo” e “Terrorismo” que a organização desses conceitos está fortemente relacionada ao fator nacionalidade, evidenciando uma prevalência de referenciais diferentes oriundos de vivências culturais distintas.

Palavras-chave: Islamismo; Terrorismo; Representações Sociais; Análise Temática; Teoria das facetas.

Publicado
2020-07-01