REFORMA PSIQUIÁTRICA BRASILEIRA E SUAS INFLUÊNCIAS EUROPEIAS E NORTE AMERICANAS

  • Daiana Indianara Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG
  • Fernanda Cordeiro Alencar Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG
  • Luana Carelli Reis Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG
  • Mateus Fonte Boa Viana Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG
  • Adriana Rosmaninho Caldeira de Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG

Resumo

Por meio das mudanças de paradigmas advindas pelas Guerras Mundiais, o que se antes predominava como práticas psiquiátricas de internação, passam por um movimento de reforma, no qual o resgate à cidadania se faz presente. O objetivo deste trabalho é apresentar de modo sucinto como se deu a desinstitucionalização na Itália e nos Estados Unidos e suas influências ao contexto da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Serão abordados durante o artigo pensadores que iluminaram correntes teóricas que serviram de inspiração para, desde ruptura de velhas praxes à concretização de novos pensamentos, cuja colaboração se dá no retorno da cidadania do ‘louco’ perante cada contexto cultural. Assim, fez-se presente nos Estados Unidos, o Plano Nacional de Saúde Mental, o qual reluziu novos projetos desinstitucionalizantes, como a Psiquiatria Preventiva e Comunidade Terapêutica. Já na Itália, a Psiquiatria Democrática, movimentada por nomes como Franco Basaglia, configuram novas premissas que são adquiridas ao contexto brasileiro por meio da Reforma Psiquiátrica.

Palavras-Chave: Saúde Mental; Desinstitucionalização, Reforma Psiquiátrica.

Publicado
2020-07-01