A VISÃO DE FELICIDADE PARA ESTUDANTES DE PSICOLOGIA DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA

  • Lucas de Araújo Batista
  • Ewerton Helder Bentes de Castro

Resumo

O que é a felicidade e qual o significado dela para os indivíduos? Desde a antiguidade filósofos como Aristóteles, Epicuro e Schopenhauer tentaram descrever o que seria a felicidade. Aristóteles dizia que o homem feliz era aquele que cultivava as suas virtudes, já Epicuro dizia que o homem feliz era aquele que vive para maximizar os prazeres e diminuir o desprazer. Schopenhauer já por outro lado define felicidade como a satisfação de todo o querer. Estaria a felicidade hoje, no mundo contemporâneo associada ao consumo desenfreado de bens materiais? Seria esta felicidade (associado ao consumo) apenas uma ilusão? Quando estaríamos plenamente satisfeitos então. Enfim, mas o que a fenomenologia tem a nos dizer sobre isso? Para a fenomenologia a felicidade é muito mais uma questão filosófica do que qualquer outra conotação que lhe pode ser dada. Segundo o que consta na literatura, a felicidade é entendida como uma possibilidade que se contrapõe ao “vir-a-ser”, condição inerente à existência humana. O homem, na medida em que é um contínuo “vir a ser”, um sempre “poder ser” e com a possibilidade de um “ainda-não”, tem na felicidade um de seu anseios idealizados, não à luz da razão que determina outra possibilidades da existência, mas no circunstancial de uma emoção que o faz buscar a felicidade sem saber a forma e os determinantes. O objetivo desta pesquisa foi compreender a concepção de felicidade com alunos do Curso de Psicologia da UFAM à luz da Psicologia Fenomenológico-Existencial – os significados nos discursos, para isto foi utilizado o viés qualitativo em pesquisa e realizada através do método fenomenológico de pesquisa em Psicologia, a partir de entrevista áudio gravada que parte de uma questão norteadora e a análise amparada nos pressupostos da Fenomenologia Existencial.  Foram participantes 8 discentes de Psicologia. Foram elaboradas 5 categorias temáticas, a saber:  Pode-se depreender felicidade como um fenômeno subjetivo e parte da condição humana associada a diversos fatores, tais como, liberdade, o sentir-se bem, o momento presente e o outro. Todas essas categorias dizem respeito ao sentido dado pelos participantes que baseiam seus discursos de acordo com suas vivências e perspectivas singulares enquanto seres no mundo.

 

Palavras-chave: Felicidade; desejo; fenomenologia; vivência.

Publicado
2020-07-01