NADA DIGO DE TI, QUE EM TI NÃO VEJA, DE ELIANA ALVES CRUZ: UMA ANÁLISE LITERÁRIA E COMPARATIVA DO ROMANCE HISTÓRICO SOB O OLHAR FEMININO

Autores

  • Raul I. V. Arriagada Centro Universitário Sumaré

Resumo

RESUMO: O presente artigo tem como escopo analisar a obra Nada digo de ti, que em ti não veja (2020), da autora brasileira Elaine Alves Cruz. A pesquisa procura estabelecer um diálogo com a obra A cabana do Pai Tomás (1852), da escritora norte-americana Harriet Stowe a partir de vários pontos em comum abordados na trama, de modo particular a escravidão vivenciada nos Estados Unidos e no Brasil no século XIX. A análise se detém na ação das personagens, principalmente negras, estabelecendo paralelos e convergências. O artigo também analisa o papel da escrita feminina: no caso de Stowe, um ato de coragem, para sua época; no de Cruz, a revisão da história por meio de uma narrativa que envolve não somente a questão escravocrata, mas também de gênero e sexualidade. Ambas escritoras desafiam regras e conseguem construir tramas inteligentes e envolventes. O texto procura também definir a construção do ódio, do desprezo ao outro, o que leva o ser humano a escravizar e humilhar seu semelhante.

PALAVRAS-CHAVE: escritora; escravidão; negro; inimigo; literatura

Downloads

Publicado

2022-04-29

Edição

Seção

ARTIGOS (DOSSIÊ)