RISCO E VULNERABILIDADE AMBIENTAL URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE MANAUS

  • Rayane Brito de Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

Resumo

Este estudo objetivou identificar e analisar a relação entre a interação entre a dinâmica da pluviosidade e temperatura com os casos confirmados de dengue e malária nas cidades de Manaus e Itacoatiara e as estruturas de risco e vulnerabilidade. O texto foi fundamentado segundo o Sistema Ambiental Urbano (S.A.U.). Alguns resultados identificaram que as condições climáticas favoráveis ao ciclo do vetor Anopheles são chuvas entre 40 e 110 mm, temperatura do ar entre 24 a 32 °C e a periodicidade dos casos de malária ocorrem com maior intensidade nos meses do período de estiagem (junho a outubro) e menor intensidade nos meses mais chuvosos (março a maio). As condições favoráveis ao Aedes aegypti consistem em chuvas entre 10 a 20 mm e temperatura entre 27 a 30ºC. A formação de ambientes ecológicos para estes vetores são potencializados por problemas de injustiça e desigualdade sócioespaciais, o que causa a expansão e intensificação dos casos de malária e dengue, principalmente por problemas de saneamento, como o acumulo inadequado de lixo.

Publicado
2018-12-17
Como Citar
Almeida, R. B. de. (2018). RISCO E VULNERABILIDADE AMBIENTAL URBANA NA REGIÃO METROPOLITANA DE MANAUS. REVISTA GEONORTE, 9(33), 241-245. https://doi.org/10.21170/geonorte.2018.V.9.N.33.241.245
Seção
Anais do Seminário de Projetos do Programa de Pós-graduação em Geografia -UFAM