VISÕES SOBRE A MODERNIDADE NO CONTEMPORÂNEO: UM DIÁLOGO COM BAUMAN, BECK, NOGUEIRA E CASTELLS

  • Renan Bergo da Silva
  • Jordeanes do Nascimento Araújo Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Resumo

Desde Durhkeim, Marx e Weber até os dias atuais experienciamos o tempo da crítica social. Com efeito, um sobrevôo por sobre a crítica dos clássicos, assim também como por sobre as análises benjaminianas a respeito da modernidade, demonstra que o discurso filosófico e crítico sobre a modernidade conferiu-lhe um ar de liberdade, a expressão de liberdade da subjetividade. Esta expressão passou a determinar de modo amplo as configurações da cultura que emergiram da dissociação do passado. Ao mesmo tempo, a moral ganhava autonomia mediante leis universais, o que permitia aos agentes sociais o reconhecimento de suas liberdades subjetivas. Diante de tais questões, o presente trabalho se propõe a estabelecer um diálogo com as perspectivas apresentadas fundamentalmente por Zigmunt Bauman, Ulrich Beck, Marco Aurélio Nogueira e Manuel Castells no que concerne às suas análises relativas ao discurso da modernidade, com o fito de demonstrar os efeitos da Política na sociedade contemporânea.

Palavras- chave: Modernidade, Política e Sociedades

Biografia do Autor

Renan Bergo da Silva

Mestre pelo o Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais - Unesp. Professor da Rede Pública do Estado de São Paulo

Jordeanes do Nascimento Araújo , Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Doutor em Ciências Sociais da UNESP. Professor de Antropologia no Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente da Universidade Federal do Amazonas. Campus Vale do Madeira (Brasil)

Publicado
2021-07-01